Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 5 - Fanfic by Lary [:

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 5 - Fanfic by Lary [: 
Como? 

Eu sonho o tempo todo. Primeiro com Max. E eu o amo. Mas dai ele me trai. E Niall me pega no colo. Dai eu fico toda apaixonada por ele. E tem o Toddy... Com suas covinhas lindas e seus cabelos ondulados e macios, com aquele sorrisão enorme... Mas vem o Max de novo. E ele me dá banho com todo o carinho. Meu coração fica todo acelerado.
E ai eu acordo.
 Quando eu abro os olhos, todo o comodo gira, e eu gemo quando a luz do sol bate em meus olhos, quase me cegando. Estico o edredom por cima da minha cabeça, me fechando em um casulo.
Eu: Quando a luz solar ficou tão forte? - Resmungo. Ouço uma gargalhada macia e gostosa ao meu lado. Minha cabeça está latejando no ritmo das batidas do meu coração. Abaixo um pouco o edredom, tentando manter os olhos abertos, mas, involuntariamente, eles estão cerrados; encontro Max com o computador no colo, com certeza trabalhando. Fico toda boba ao pensar que ele está ao meu lado porque gosta da minha companhia, mesmo inconsciente.
Max: Bom dia.
Eu: Mal dia. - Resmungo e me cubro de novo. - Nunca mais vou beber. Eu juro. - Max ri de novo, ouço os barulhos do teclado quando seus dedos batem nas teclas.
Max: Tem aspirina ai no criado. - Com dificuldade, tiro o edredom do rosto e me sento na cama, olho para o criado mudo e ali estão um comprimido branco, um copo de água e uma garrafinha rústica. Meu estomago está embrulhado e parece que eu vou vomitar se me mover.
 Eu: O que é isso? - Resmungo pegando a garrafinha. Havia um cartão onde estava escrito:
Beba-me.
As letras eram fortes e masculinas. Cerro o cenho olhando a garrafa e tentando ler o rótulo.
Eu: Cura ressaca? - Chego mais perto da garrafa para ver se meus olhos tinham me traído. Mas parecia que não.
Max: Pois é... Chegou logo pela manhã. Quem trouxe? - Ele pergunta com a voz perigosamente calma, parando de digitar.
Eu: Não sei. - Digo suavemente. - Será que é seguro? - Max pega a garrafinha de minha mão, tira a rolha e cheira o líquido lá de dentro. Faz careta.
Max: Parece morango. Com alguma coisa alcoólica.
Eu: Alcoólico? - Pergunto com a voz histérica. Max ri.
Max: As vezes ajuda com o estômago. - Tampa a garrafa e me entrega. - Pra mim, parece seguro. - Eu pego a garrafinha de sua mão, nossos dedos se roçam suavemente, e eu me lembro do seu toque de ontem a noite. Fico sem jeito e me encolho um pouco, ele parece notar, mas continua me olhando como se visse o horizonte. Sinto que tenho que falar alguma coisa. Mas estou tão envergonhada.
Eu: O-Ontem a noite... E-Eu... - Gaguejo e começo a tremer.
Max: Tudo bem... - Diz suavemente. Depois abre um sorriso torto e cafajeste. - Eu adoraria que você ficasse bem bêbada mais vezes, se eu sempre puder te dar banho.
Eu: Você não gosto muito da ideia ontem. - Murmuro, pegando o comprimido e o copo de água.
 Max: Preferiria que você fizesse isso diante de meus olhos. - Diz com uma suavidade surpreendente. - Não gosto mesmo da ideia de ter você, bêbada, num local cheio de gente querendo sexo casual. As coisas podem fugir de controle... - Eu o observo enquanto jogo o comprimido na boca e bebo água por cima.
Eu: Eu acho que ninguém se atreveria. - Digo enquanto abria o "cura ressaca".
Max: E por que não? - Bebo um gole da bebida, e logo reconheço que é a bebida rosa que eu bebi ontem, porém bem mais fraca, quase toda feita de suco e um tiquinho de álcool.
Toddy...
 Eu: Eu estava com... Com dois caras. Agentes do FBI. - Observo Max cujo os lábios se entreabrem e depois o maxilar é cerrado.
Max: Dois caras? - Diz com os dentes trincados. Eu me encolho.
Eu: Lembra dos agentes que cuidaram do meu... - Travo. - Cuidaram do meu caso? - Aquilo parecia bem distante, mas ainda era uma lembrança dolorosa e viva.
Max: Horan e McKellen? - Assinto.
Eu: Niall e Toddy. - Digo com suavidade. Max desvia o olhar. - Mas nós saímos como amigos. - Adiciono rapidamente, ignorando a voz na minha cabeça que ficava me lembrando de Toddy, mas ele não volta a olhar pra mim, continua olhando para o lado, me impedindo de ver seu rosto. - Max, eu juro que... - Tento concertar.
Max: Foi ele, não foi? - Diz bem baixinho, me interrompendo; ainda não me olha.
Eu: Ele quem? E foi o que?
Max: Niall. - Ele me olha. - Foi ele quem te contou que eu... - Ele trava.
Eu: Que você me traiu. - Termino a frase por ele. - Foi sim. - Digo sincera. Max suspira. - Sabe por que? - Digo suavemente. - Porque tinha um cara querendo ficar comigo. - Não digo quem é o cara. - E mesmo bêbada, mole e alegre; eu o neguei até o fim, alegando que tinha namorado. Niall disse que eu deveria ficar com ele, e me contou o porquê. - Max suspira e assente. Bebo meu cura ressaca de uma vez só, fazendo uma careta com a queimação em meu estomago, que se contrai em protesto.
Max: Deveria ter ficado, me faria sentir...
Eu: Menos culpado? - Digo colocando a garrafa vazia no criado. O aspirina aliviou minha dor de cabeça, e o cura ressaca já fazia meu estomago desembrulhar, pego um chiclete de menta e jogo na boca.
Max: Ah, meu anjo. - Diz suavemente e me puxa pra perto de si. Eu me encaixo em seu colo, cheirando seu pescoço macio e cheiroso.
Eu: Qual o nome dela? - Pergunto baixinho.
Max: Eu preciso mesmo dizer? - Franzo as sobrancelhas, pensando, Max aperta o V em minha testa. - Allie. - Diz com suavidade.
Eu: E como ela é? - Ele solta um longo suspiro.
Max: Tem certeza...
Eu: Claro. - O interrompo.
Max: Baixinha, loira, bem magra e esguia. - Eu fico de boca aberta.
 O oposto de mim. 
Tento sair de seu colo, mas Max me aperta com força em seu colo, me impedindo de fugir.
Eu: E-Eu... M-Max... D-Deixa eu... - Tento empurrá-lo, mas ele não me solta, e enquanto eu me contorço, sela nossos lábios suavemente, eu paro de me debater na mesma hora; com muito cuidado, ele coloca sua língua na minha boca, assim que eu deixo que ele me beije, faz isso com muito cuidado e delicadeza; como se eu fosse de porcelana; sabe aqueles beijos que deixam a gente toda mole? Então... Foi bem isso o que ele fez. - Ah Max... - Digo num suspiro, meio soluço.
Fico me perguntando como Max conseguia me deixar tão compreensível e brava ao mesmo tempo. 
Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oooi gente!
Como estão?
Espero que bem.
Capítulo chato.
Mas enfim... Niall e S/N se pegam em breve... Daqui uns quatro capítulos kkk 
É isso hahaha
Beijos :*
- LARY

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 4 - Fanfic by Lary [:

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 4 - Fanfic by Lary [: 
O que os olhos não vêem, o coração não sente? 

Max: Tudo bem pra você? - Max pergunta suavemente quando chegamos ao banheiro, eu assinto, fechando os olhos com força, não querendo ver o que estava prestes a acontecer. Porém eu não podia fazer nada. Estava bêbada e sem controle do meu corpo. Além de suada, com a maquiagem borrada e, provavelmente, com o cabelo todo bagunçado. Precisava de um banho e não tinha como fazer aquilo sozinha. Sinto o toque suave e quente dos dedos de Max em minhas costas, antes do suave puxão no zíper que vai até a base das minhas costas. Solto um suspiro trémulo quando ele acaba de tirar o vestido de meu corpo, me deixando apenas de calcinha e sutiã na sua frente.
Eu: Para de olhar. - Resmungo, sem abrir os olhos.
Max: Não estou olhando. - Diz divertido.
Eu: Está sim.
Max: Como pode saber? Seus olhos estão fechados.
Eu: Eu... Eu sinto. - Abro os olhos e encontro seu olhar pregado em meu próprio olhar. Ele dá um leve sorriso e beija meus lábios suavemente. Escondo minha cabeça em teu peito quando ele desabotoa meu sutiã e puxa as alças por meus braços, fazendo com que ele fosse ao chão. Ele não diz nada, apenas acaricia suavemente minhas costas, no local onde antes estava o fecho do meu sutiã. Ele se abaixa e eu começo a tremer quando Max segura a barra de minha calcinha. Fecho os olhos com força de novo.
Max: (SeuNome)? - Eu abro um olho.
Eu: Hum? 
Max: Algum problema?
Eu: Não. Exceto ter um cara prestes a abaixar minha calcinha. Não. Nenhum.
Max: Um cara? - Ele faz cara de cachorrinho triste. Eu dou risada, me sentindo aquecida e confortada. Faço carinho no cabelo negro dele.
Eu: Um cara especial. Mas ainda é assustador.
Max: Entendo... - Diz suavemente. - Bem... - Solta minha calcinha. - Não acho que... 
Eu: Eu quero que você tire. - Murmuro e fecho os olhos com força de novo. Ele não diz nada, mas solta um longo suspiro e sinto seu toque quente e suave na barra da minha calcinha, roçando levemente minha pele sensível e, com muito cuidado, ele abaixa minha calcinha, bem devagarzinho e com muita calma. Um suspiro bem longo sai de seus lábios. Abro os olhos, com um pouco de dificuldade e vergonha, Max está tremendo um pouco, com os lábios levemente entreabertos e os olhos cerrados.
Max: Ah, anjo... - Suspira. - Tão linda. - Eu me sentia envergonhada, mas não era tão terrível quanto eu imaginei que seria, e o fato de ele ter me achado linda, fez com que meu corpo se aquecesse. Max abre o chuveiro e me ajuda a entrar debaixo da água, gentilmente. Eu solto um gemido de dor, trémulo, quando minha cabeça começa a latejar no mesmo ritmo da dor no meu estomago.
Eu: Ah merda. - Choramingo colocando uma mão sobre a barriga e outra na testa, apertando os olhos. - Ah meu Deus, como isso dói! - Resmungo.
Max: Mais tarde vai estar pior... - Diz suavemente enquanto pega o shampoo e coloca na mão.
 Eu: Mais tarde quando? - Ele passa o shampoo em meus cabelos.
Max: Depois de dormir. - Suspiro sentindo suas mãos acariciando meu couro cabeludo.
Eu: Você faz isso bem. - Digo suspirando.
 Max: Tenho duas irmãs mais novas. Fiz muito isso em duas garotinhas. - Sorrio.
Eu: Tenho que agradecer a elas. Estão cada vez mais lindas.
Max: Igual ao tato. - Eu ri baixinho.
Eu: Elas namoram? - Pergunto curiosa, pela primeira vez. Caroline e Camille são gêmeas, e irmãs de Max. Elas têm 14 anos, se não me engano.
Max: Não que eu saiba. São muito novas ainda. - Dou risada.
Eu: Você nem era virgem aos 14 anos. E elas não podem namorar?
 Max: Pois é. É diferente...
Eu: Machista. - Digo divertida.
Max: Meu irmão me perguntou como era o sexo com você. - Diz com normalidade. Fico imóvel com a mudança brusca de assunto. As mãos de Max estão deslizando em minhas costas agora.
Eu: Homens falam mesmo disso? E o que você disse? - Ele coloca creme dental na minha escova de dentes e me estende a mesma. Eu começo a escovar meus dentes quando ele volta a lavar minhas pernas.
Max: As vezes. Eu disse que você é perfeita. Sem mais. - Suspiro, mas fico imóvel quando as mãos dele deslizam por minha cintura.
Eu: Max... Não precisa... - Me movo inquieta. - Acho que eu consigo me virar dai pra baixo. - Ele fica ereto e ergue uma sobrancelha. Me estende a esponja e o sabonete líquido, eu me abaixo e tudo roda, quase vomito. - Ah Max! - Choramingo, tampando a boca com força, segurando o que me subiu do estomago.
Max: Se você for vomitar, me avise. - Diz divertido, pegando o pente e o condicionador; fico maravilhada enquanto ele passa o condicionador por meus cabelos, pega o pente e desembaraça os fios com cuidado e delicadeza. É tão bom e relaxante... Eu começo a tremer quando sinto o cheiro de meu sabonete íntimo.
Eu: Isso é tão constrangedor! - Digo com a voz histérica, tampando o rosto com as mãos, quando a mão de Max me toca suavemente entre as coxas.
Max: Na verdade, isso é íntimo. E intimidade com você... É o que eu mais desejo e procuro nos últimos quatro anos. - Eu agradeço por ele ser eficiente e fazer aquilo bem rápido, pois quando acaba de falar, já acabou o serviço. Solto um suspiro de alívio, tirando as mãos do rosto. - Por que você tampa o rosto? - Pergunta divertido enquanto fecha o chuveiro e pega uma toalha. - Não muda nada.
Eu: Ao menos eu não estou vendo. - Resmungo enquanto vou para seus braços, onde ele começa a me secar com a toalha lilás.
Max: O que os olhos não vêm, o coração não sente?
Eu: Não sei se é bem assim... - Fico rígida, pensando na traição da parte dele. Ele parece perceber e não diz nada enquanto me enrola na toalha, toda cheirosinha e sequinha. Max apoia a mão na base das minhas costas e me guia até meu quarto.
Max: Onde está seu pijama de cerejinhas? - Ele pergunta, meio rindo. Faço careta e cruzo os braços. Eu: Não são cerejinhas, são moranguinhos! E ele está debaixo do meu travesseiro. - Max enfia a mão debaixo do meu travesseiro e tira as duas peças macias, uma calça vermelha e uma blusa de mangas longas branca, com vários morangos minúsculos por toda ela.
Max: Parecem cerejas. - Ele diz pensativo enquanto olha as peças em sua mão.
Eu: Não parecem não!
Max: Calcinha? 
Eu: Não quero você fuçando na minha gaveta de calcinhas. - Digo envergonhada.
Max: O que tem de mais lá? Além de pedacinhos de pano?
 Eu: Coisinhas femininas. - Digo baixinho.
 Max: O que? Um vibrador?
Eu: Não! - Digo com a voz aguda. - Ai meu Deus Max! - Tampo o rosto. Ele dá risada.
Max: É um dos únicos motivos para minha namorada não deixar que eu veja sua gaveta de calcinhas. - Suspiro e tiro as mãos do rosto.
Eu: Segunda gaveta. - Murmuro. Ele caminha até lá, abre a gaveta; fica um tempo analisando lá dentro, e eu me movo, completamente inquieta.
Max: Biquíni, meia calça, sutiãs, meias, absorventes e... Calcinhas. Nada de errado.
Eu: Isso diz alguma coisa sobre mim?
Max: Só que você tem pepeca. E peitos.
Eu: MAX! - Tampo o rosto de novo, mas estou rindo. Ele dá um riso baixo e caminha até mim, continuo com o rosto tampado, mas abro uma frestinha nos dedos para olhar Max.
 Max: Sente-se? - Eu me sento na beirada da cama. - Agora levanta um pouquinho o pé do chão. - Eu faço isso, ele se abaixa e coloca meus pés nos buracos para as pernas da calcinha, depois vai subindo por minhas pernas, e eu fico de pé para ele a encaixar no meu corpo. Levanto os braços para que Max coloque a blusa do pijama, depois ele se abaixa, e eu me apoio nele para que o mesmo coloque a calça do pijama em mim. Ele se levanta, soltando um suspiro, todo sorridente. - Pronto. - Sorrio corada e coloco um pouco dos meus cachos atrás da orelha.
Eu: Vamos dormir? - Digo baixinho. Ele assente e prepara a cama para dormimos, eu afundo no meio dos edredons quentinhos, e Max se deita com cuidado ao meu lado. - Você tomou conta de mim muito bem hoje. - Digo sorrindo, ele abre um sorriso lindo e mexe em meus cabelos, tirando-os de meu rosto.
Max: Adorei poder fazer isso. Pode crer. Foi mais gostoso pra mim do que pra você. 
Eu: Danadinho. - Ronrono me aconchegando em seus braços de conchinha.
Max: Pois é... Agora dorme. - Beija minha nuca suavemente.
Eu: Boa noite.
Max: Boa noite. - Ficamos em silêncio, me sinto toda mole e relaxada.
Eu: Max? - Chamo baixo, depois de um tempo.
Max: Hum? - Responde sonolento.
 Eu: Obrigada. - Digo bem baixinho e adormeço logo depois.
Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi pequenas.
Boa noite.
Como vão? Espero que bem.
Capítulo meigo *-*
Nada a dizer.
Até amanhã.
Tchauzinho.
Beijos :*
- Lary

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 3 - Fanfic by Lary :]

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 3 - Fanfic by Lary :]
Por que não me contou?

 Na hora de ir pra casa, Toddy vai agarrando minha cintura enquanto a gente caminha até o carro, porque ele sabe que tá tudo girando pra mim, Niall assume o volante e Toddy vai atrás, me dando apoio e deixando que eu deitasse a cabeça em seu ombro, completamente zonza. Ouço que ele e Niall conversam, mas eu não entendo e nem quero entender nada. Meu estomago está se revirando e eu só queria dormir.
Eu: Niall não deveria dirigir bebâdo. - Minha voz não é mais que um murmúrio, mas Toddy está bem pertinho, me ouve e ri.
Toddy: Acha que algum policial qualquer vai fichar um agente do FBI?  - Toddy diz divertido. Eu me movo, me acomodando melhor em teu peito.
Niall: Não estou bebâdo. - Resmunga. Não queria discutir. Não tinha forças. Então apenas fechei os olhos e continuei com a cabeça no peito de Toddy. Adormeci até o fim da viagem.
 Acordo com Niall me chamando com uma voz rouca, mas suave. Me movo em meu assento, tentando abrir os olhos, que pareciam colados. Sinto o toque quente de Niall tirando meus sapatos de salto e depois me ajudando a descer.
Eu: Estou bem. - Resmungo pegando meus sapatos da mão dele. - Cadê o Toddy?
Niall: Ficou na casa dele. Quer ajuda pra subir até seu quarto?
Eu: Não... Estou bem. - Coço os olhos.
Niall: Jura? - Diz preocupado. Típico da sua profissão.
Eu: Sim. Tchau. - Beijo sua bochecha.
Niall: Mais tarde te ligo pra ver como você está. - Assinto, me sentindo tonta, sonolenta e enjoada. - Boa noite. - Diz suavemente.
Eu: Boa noite. - Dou as costas e vou entrando no meu prédio, mesmo de costas, sinto o olhar quente de Niall pregado em mim. A recepção está deserta e a secretária do horário está cochilando por sobre o balcão. As únicas pessoas bem acesas, são os seguranças, que não movem um músculo sequer quando passo por eles. Subo de elevador até meu quarto, as coisas estão sem foco e eu sinto vontade de rir disso. Mas estou muito cansada pra isso. Destranco a porta do meu apartamento, entro na sala e tranco a porta. Vou em direção ao banheiro, mas algo me faz parar. A silhueta de Max está me observando, encostado no batente da porta, com os braços cruzados, uma camiseta, moletom e o cabelo bagunçado.
Max: Onde estava? - Sua voz está rouca e neutra de um modo que nunca ouvi antes.
Eu: Com uns amigos... - Sussurro, de repente me sentindo mal e errada.
Max: Por que não atendeu o celular? - Seu tom ainda é neutro e perigosamente calmo. Engulo seco.
Eu: Não levei meu celular.
Max: Com que amigos? - Viro o rosto, envergonhada. Não poderia dizer que estava apenas com Niall e Toddy porque ele com certeza desconfiaria, nem que estava com Hanna, Niall e Toddy, porque ele pensaria que tinha sido um encontro entre casais. Não havia pensado nisso até então.
Eu: Uns ai. - Dou de ombros, me sentindo acesa e cautelosa.
Max: Você está chapada? - Me sinto mal diante do seu tom, sem emoção alguma.
Eu: Exagerei um pouco e...
Max: Tem noção do quanto eu fiquei preocupado contigo? - Ele me interrompe rosnando, e eu me encolho diante de seu tom. - Estou desde as onze horas completamente sem chão e sem saber o que fazer. Você acha isso certo? Por que não me contou que iria sair hoje?
Eu: Você estava ocupado com Anne e fiquei com receio de interromper vocês pra dizer algo tão bobo. - Digo sarcasticamente. Ele ri no mesmo tom que eu, sarcástico.
Max: Não seja infantil, eu e ela apenas trabalhamos juntos. - Assinto cruzando os braços e virando o rosto. - Onde você foi?
Eu: Numa casa noturna. - Digo com naturalidade. Ele fica de boca aberta.
Max: Você não gosta dessas coisas.
Eu: Pois é, descobri que eu gosto. - Vou saindo em direção ao banheiro, passo por baixo de seus braços para ir em direção ao corredor.
Max: Você me traiu? - Pergunta em seu tom neutro e indiferente. Me viro pra ele, sentindo meu sangue ferver.
Eu: Tá achando que eu sou o que? - Digo tentando manter a calma e não gritar. - Não sou como você. Se quisesse transar com outro, terminaria com você primeiro. - Ele perde a pose por um instante.
Max: Não sei do que você está falando... - Eu ri sarcasticamente.
Eu: Ah, sabe sim! - Retruco. - E sabe que eu deveria dar o troco. Porque você merece! - Tento não chorar, mas minha voz já vai ficando meio embargada. - Mas eu sou melhor que isso, Maxwell.
Max: Quem te contou? - Murmura.
Eu: E isso importa? - Contra ataco. - Não quero falar disso agora... - Respiro fundo. - Está tudo bem, Max. - Digo com suavidade.
Max: Você... Não está...?
Eu: Brava? - Balanço a cabeça negativamente. - Estou é magoada. - Ele suspira, caminha até mim e me abraça com força.
Max: Me perdoa, ok? - Assinto, com lágrimas borrando minha visão. Fico nas pontas dos pés e beijo sua boca, deixo que suas mãos tracem o contorno do meu corpo em desespero, nós dois estamos nos beijando com força, um pouco por raiva e um pouco por conta do medo de perder o outro. Acontece que tanto Max, quanto eu, somos inseguros. Acho que, um pouco, é por conta do tempo que ficamos juntos e sem sexo, sem contato íntimo. Faz com que tudo fique mais delicado.
Eu: Você já fez sexo casual? - Pergunto baixinho e sem fôlego.
Max: Mas que porra de pergunta é essa? - Ele está sem fôlego também. Me encolho um pouco.
Eu: Só curiosidade.
Max: Na faculdade só tinha sexo casual. - Admite. - Ninguém quer compromisso antes de se ingressar no mercado de trabalho. - Assinto.
Eu: Vou tomar banho.
Max: Dai a gente vai dormir. Porque eu to quebrado. - Sorrio e assinto; ele beija minha testa. - Vamos falar daquilo amanhã, tá bem? - Sussurra. Assinto meio sonolenta e zonza.
Eu: Meu estomago está doendo. - Coloco a mão sobre a barriga.
Max: A primeira ressaca do meu anjo. Estou orgulhoso. - Diz divertido. Eu gemo de dor, achando aquilo tudo horrível.
Eu: Está tudo fora do lugar. - Digo gemendo. - E girando. - Tropeço em alguma coisa invisível e vou parar nos braços de Max. - Ah Max! - Choramingo.
Max: Acho que vou ter que te ajudar a tomar banho. - Escondo meu rosto em teu peito. - Vamos lá. - Suspiro e sinto Max me arrastando até o banheiro.
Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi gente.
Como estão? Espero que bem...
Desculpa por não vir ontem, e vir tão tarde hoje, mas é que eu estava fazendo um trabalho de física, desde sábado. Deu quase vinte páginas. Acabei agora a pouco. Não to nem sentindo minha mão kkkk
Mas enfim... O capítulo teve o mesmo fim sem noção pelo mesmo motivo de sempre... acho que vocês já até acostumaram kkkk
Bom gente, é isso.
Tentem me entender.
Beijos suas lindas :*
- LARY

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 2 - Fanfic by Lary [:

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 2 - Fanfic by Lary [:
Até o amanhecer.



 Toddy chega com dois copos do mesmo líquido rosa, e eu fico toda alegre e animada.
Toddy: Vai querer dançar mais? - Pergunta suavemente enquanto eu acabava com meu primeiro copo de líquido rosa.
Eu: Não acho que consiga. - Digo rindo. - Tá tudo embaçado, e eu estou me sentindo bem zonza. - Admito. Ele ri.
Toddy: Normal... - Aproxima sua poltrona da minha.
Niall: Vou ao banheiro. - E se levanta. Me deixando na mão. Mordo o lábio e não olho nos olhos de Toddy.
Toddy: Niall me contou de Max... - Diz suavemente.
Eu: Você sabia o tempo todo? - Digo sem o olhar. Ele dá de ombros. Eu suspiro. - E mesmo assim... - Balanço a cabeça.
Toddy: Mesmo assim o que? Te quis? Claro que sim. Você é... Linda. E inteligente. Tão atraente... Não entendo que não veja isso. - Respiro fundo e me viro para olhar seus olhos, enquanto tomava um longo gole da minha bebida cor de rosa. Toddy fica me observando com uma curiosidade extraordinária. - Vai meter o pé na bunda dele? - Mordo o lábio e olho para baixo, mexendo na beiradinha da toalha. - Não vai?! - Pergunta incrédulo. - Porra, (SeuNome)! 
Eu: Você nunca entenderia. - Balanço a cabeça. Niall chega e se senta novamente em seu lugar. - Que horas são? - Pergunto curiosa.
Niall: Quatro e meia. - Fico de boca aberta.
Eu: Nós não vamos embora?
Toddy: Você quer ir embora? 
Eu: Agora não... - Digo dengosa. Isso os faz rir. - A gente pode sair mais vezes?
Toddy: Claro que sim.
Eu: Mas eu não vou trazer a Hanna. - Digo emburrada. - Ela é atraente demais. Pega os homens e vai embora com eles. - Isso faz Toddy erguer as sobrancelhas sorrindo e Niall balançar a cabeça.
Niall: Você tem mais amigas bonitonas?
Eu: Não que sejam o suficiente pra você.
Niall: Como você sabe de que tipo eu gosto?
Eu: Não sei. Mas imagino. E você é lindo. Só deve gostar de garotas lindas. - Toddy pigarreia e se move desconfortavelmente em seu lugar. Niall lança um olhar a ele e depois me olha.
Niall: Não é bem assim...
Eu: É assim sim. Eu conheço seu tipo, Horan. - Ele balança a cabeça.
Niall: Já te disse que eu não sou assim. E tenho motivos pra isso.
Eu: Toddy... - Me viro pra ele, ele me olha com o copo nos lábios, tomando um gole da sua bebida.  - Você faz sexo com pessoas com quem você tem laços afetuosos? - Ele coloca o copo calmamente na mesa.
Toddy: As vezes sim. - Diz meio cauteloso.
Eu: Por que todo mundo prefere o sexo casual? - Pergunto emburrada.
Toddy: Porque é bem menos complicado. - Admite. - Depois de acabar, cada um segue seu rumo e continua sua vida como era antes. - Olho Niall e ele tomba a cabeça com um sorriso zombeteiro. Fecho os olhos e bufo.
Eu: Homens... 
Toddy: Não só homens, a maioria das mulheres também preferem o sexo casual. Sem compromisso. - Diz cautelosamente.
Eu: Você quer sexo casual comigo? Por isso está tão insistente? - Isso faz Niall engasgar.
Toddy: Você é bem direta. - Diz sério. Dou de ombros.
Eu: Sexo casual é uma coisa bem direta. 
Toddy: Se a gente transasse não seria mais casual. Eu já te conheço bem.
Eu: Então você não quer transar comigo? - Beberico minha bebida cor de rosa. Isso faz Niall rir. Ele está observando a conversa com uma curiosidade extraordinária.
Toddy: Não foi isso o que eu disse. - Ele diz cauteloso. Eu começo a rir.
Eu: Vamos dançar, porque daqui a pouco acaba a festa. - Me levanto e vou o puxando, depois passo e pego Niall; nós vamos pra pista e eu me espremo novamente entre os corpos dos dois. E ai a gente dança. Até o amanhecer...
Continua...
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Boooa tarrrde gentee!
Como estão? Espero que bem.
Nada a dizer.
Ah, talvez eu volte hoje.
Beijos pessoas :*

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 1 - Fanfic by Lary :]

Laser Light - 2ª Temporada - Capítulo 1 - Fanfic by Lary :]
Que tipo de namorada é você? 
Luisa Tormenta tore this photo to their profile. More than 13 StyleSaints retore this image. Strawberry​.
 Todo o meu mundo gira e eu me agarro a Niall de novo, achando que vou cair. Pela primeira vez desde que nos conhecemos, ele me acolhe, e me abraça de volta, marcando presença e fazendo com que eu me sentisse segura.
Eu: Eu vou ao banheiro. - Digo baixinho, ele assente, eu me levanto, me sentindo meio trémula e vou ao banheiro. Me olho no espelho: Estou toda suada, meus olhos estão arregalados e meu cabelo está grudando nas têmporas. Eu suspiro três vezes, limpo as lágrimas que insistem em rolar por minhas bochechas. Respiro fundo, lavo minhas mãos e saio do banheiro. Vou em direção a mesa onde Niall e Toddy estão sentados, um de frente pro outro, Niall provavelmente contou a Toddy o que havia acabado de me revelar. Toddy balança a cabeça e diz alguma coisa. Niall apenas assente. Toddy é tão lindo... E tão fofo... Mas Niall... Algo faz com que eu me sinta muito atraída por ele. É difícil admitir isso sóbria. Mas agora eu estou bêbada e tudo fica muito mais fácil. Estou bem corajosa. Mas já me sinto sonolenta. E queria ir pra casa. Minha cabeça está começando a latejar e estou com vergonha de ir até a mesa e olhar para aqueles caras que sabem coisas constrangedoras sobre mim. Só tem uma diferença entre eles: Niall é tão encantador... E ele não me quer. Mas Toddy... Toddy sabe de tudo sobre mim e ainda me quer. Quando chego perto da mesa, ele está sorrindo enquanto me olha.
Eu: Eu to com dor de cabeça. - Resmungo com a mão na testa.
Niall: Ressaca já chegou? - Diz divertido.
Eu: Eu vou ficar de ressaca? - Pergunto incrédula.
Toddy: Ah, vai sim. - Ele diz sorrindo. - Trouxe uma coisa pra você. - Me dá um copo com um líquido rosa. Eu fico encantada.
Eu: Obrigada. - Beberico o líquido e quase morro de prazer. É de morango. Viro tudo de uma vez. - Quero mais. - Digo meio enrolado.
Niall: Meu Deus, eu criei um monstro. - Diz rindo.
Toddy: Tudo bem. Vou buscar mais. - Ele diz divertido e se levanta. Eu me jogo na poltrona fofinha onde ele estava sentado.
Niall: Não vai mesmo dar uma chance pra ele? - Eu respiro fundo.
Eu: Não. Ao menos não hoje. - Niall assente, bebendo alguma coisa e olhando para o outro lado. Acompanho seu olhar até um grupinho de garotas que dançavam animadamente, de um jeito bem sexy. - E você? Não vai pegar ninguém? - Ele nega, ainda bebendo e olhando para as meninas.
Niall: Eu não sou assim, (SeuNome). - Diz cauteloso.
Eu: Assim como?
Niall: Assim como você me vê. - Me olha. - Não sou solitário e galinha. Bem... Talvez eu seja um pouco galinha, mas minha vida sexual não é muito diferente da de qualquer outra pessoa com a minha idade; tenho sexo casual sim, e separo muito bem minha vida afetuosa da vida sexual, mas a maioria das pessoas é assim.
Eu: Pera. - Digo totalmente embriagada, puxo seu copo e dou um longo gole na bebida. - Você separa sua vida afetuosa da vida sexual? Como? - Pergunto cerrando o cenho. Ele ri baixo, desviando o olhar.
Niall: Eu simplesmente não levo mulheres com as quais eu tenho laços pra cama. - Diz com sinceridade. Ergo as sobrancelhas, tomando outro longo gole da sua bebida. - Você vai passar mal. - Ele diz em tom de aviso, mas claramente se divertindo.
Eu: Por que? Você e o Toddy não passaram. - Dei de ombros.
Niall: Tô tomando whisky desde que sai de casa, a única coisa de diferente que tomei foi uma dose de tequila. Você tem noção de quantas bebidas diferentes misturou hoje? - Diz divertido, achando aquilo tudo engraçado. Eu tiro o copo da boca e olho pra ele.
Eu: É? 
Niall: Por isso tá tão chapada. - Cerro o cenho.
Eu: É a primeira vez que eu fico bêbada. Pensei que fosse pior.
Niall: Isso porque você não deitou ainda; daqui a pouco a coisa desanda. Vai ver quando chegar em casa. - Diz enquanto pega seu copo de volta.
Eu: Por que as pessoas bebem tanto? Não é tão gostoso. - Niall dá de ombros.
Niall: Bebem pra esquecer.
Eu: Eu gosto de vinho. - Digo sem sentido algum, assim, do nada. Niall me olha e ri.
Niall: Você está pior do que aparenta.
Eu: Mas eu gosto. - Encolho os ombros.
Niall: Eu também gosto. - Admite. Ficamos um tempo em silêncio, olhando a bagunça das pessoas. - O que você vai fazer com Max? - Pergunta sem me olhar e sem alterar o tom. Eu suspiro.
Eu: Acho que... Nada. - Isso o faz olhar pra mim.
Niall: Tá de brincadeira comigo, né? - Ele diz sério. Eu mordo o lábio.
Eu: Pra mim tá tudo bem. - Ele fica de boca aberta.
Niall: Que tipo de namorada é você? - Dou de ombros.
Eu: Se ele quer sexo. Que tenha.
Niall: Talvez ele não tenha te traído assim... E se ele tiver se apaixonado por outra? - Diz suavemente. Pisco várias vezes o olhando.
Eu: Isso pode acontecer? - Ele assente, bebendo novamente de seu copo. - Ah não! Ele me ama!! - Digo histericamente.
Niall: Quem sou pra dizer que não... - Diz baixinho, voltando a olhar as meninas. - Engraçada você. Seu namorado pode ir pra cama com outra, mas não pode se apaixonar.
Eu: Ele pode ir pra cama com outra, porque não vai pra cama comigo. Mas ele não pode se apaixonar. Porque tem que estar apaixonado por mim. Eu dou amor pra ele. E isso precisa ser o suficiente.- Niall me olha e tomba a cabeça de lado feito um cachorrinho. Um lento sorriso se espalha por seus lábios rosados, e eu sei que ele me entende.
Pela primeira vez na vida.
Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oooie gente!
Como estão? Espero que bem.
Obrigada pelos comentários no capítulo anterior, sou apaixonada por ler todos eles <3
Amo vocês neguinhas. 
Capitulo com fim sem noção pelo mesmo motivo de sempre kkk
É isso.
Boa noite.
Até amanhã.
Beijos :*
- LARY

Laser Light - 1ª Temporada - Capítulo 20 - Fanfic by Lary [:

Laser Light - 1ª Temporada - Capítulo 20 - Fanfic by Lary [:
Rola maior química.
Qiu_Yang
Toddy: Não se acostuma, viu gatinha. - Ele diz na minha orelha. As mãos de Niall apertam meu quadril com mais força.
Niall: Não mesmo. É só que hoje é seu aniversário.
Eu: Parabéns pra mim!! - Bato palmas e dou dois pulinhos. Completamente bêbada... Os dois começam a rir de novo.
Toddy: Parabéns pra ela! 
Niall: É! 
Eu: Vocês são tão durinhos... - Digo sem a menor vergonha. O corpo de Toddy enrijece atrás de mim, mas Niall relaxa.
Niall: Você acha? - Assinto.
Eu: Eu nunca vi alguém tão durinho. Nem parece ter carninha macia.
Niall: Você tem carninha macia? - Ele pergunta divertido. Assinto, toda sorridente e sapeca.
Toddy: Onde? - Pergunta curioso.
Eu: Meu namorado diz que eu sou macia. - Digo me encolhendo.
Toddy: Ele acha o seu bumbum macio? Porque ele é bem gostoso. - Aperta seu corpo com força contra o meu. Eu solto um riso, achando aquilo tão engraçado, mas sem entender porque.
Eu: Ele nunca disse nada.
Niall: Você tem umas coxas deliciosas também. - Aperta seu corpo com força contra o meu, ao  mesmo tempo, me pressionando contra Toddy ainda mais. - Ele já falou isso pra você?
Eu: Não! - Digo rindo.
Toddy: Que cara chato. Você deveria meter o pé na bunda dele. - Eu continuo rindo feito boba.
Eu: Não tadinho. - Empurro um pouco os dois e me viro, de frente pra Toddy e com Niall coladinho atrás de mim. - Ele é bom pra mim.
Niall: Não sei porque. O cara é um idiota. - Niall resmunga.
Toddy: Ele não faz nada.
Niall: Nem sexo o cara te dá. - Eu acho aquilo tão engraçado que começo a rir de novo.
Eu: Eu que não dou pra ele. - Digo toda alegre, mexendo nos cabelos ondulados de Toddy.
Toddy: Por que você não dá sexo pra ele?
Eu: Porque eu não o amo. - Aquilo escorrega rapidamente da minha boca, e mesmo bêbada, sei que não é verdade. - Na verdade, eu o amo. - Digo pensativa, batendo suavemente a pontinha da unha na boca enquanto penso. - Mas é meio que... É um amor de irmão. E irmãos não fazem sexo. - Digo a última frase rindo. Porque é tão engraçada.
Niall: Por que estão juntos então?
Eu: Porque ele é o único cara que me suporta. - Digo encolhendo os ombros e fazendo um biquinho. Os olhos de Toddy brilham de um jeito tão lindo que eu fico zonza. São olhos cor de amêndoa, e eu poderia jurar que haviam pontinhos dourados neles. - Seus olhos... Ah meu Deus, eles são lindos. - Digo encantada. Ele sorri, mostrando suas covinhas. Minhas mãos formigam em desejo e eu as ergo, tocando seu rosto com cuidado. - Você é todo lindo... - Digo baixinho.
Toddy: Deixa eu te dar um beijo? - Pergunta com sinceridade.
Eu: Não! - Tampo o rosto, rindo. - Eu tenho namorado, seu bobo!! - Digo ainda rindo.
Toddy: Mas ele é como seu irmão. - Ele diz baixinho. Sinto Niall atrás de mim, mas ele não diz nada. - Eu posso ser seu homem. Ao menos essa noite. - Eu tombo a cabeça de lado toda sorridente, depois começo a rir e balanço a cabeça, dizendo não. - Sem chance alguma? - Pergunta baixinho. Me inclino e beijo de leve sua bochecha.
Eu: Agora me dá um beijo aqui? - Peço rindo e aponto para minha bochecha. Ele sorri, se inclina e beija minha bochecha. - Pronto! Deixei você me dar um beijo. E até te dei um... - Agito as sobrancelhas. Me viro de frente para Niall de novo, meus cachinhos caem nos meus olhos e eu os seguro, rindo, tentando ver, Niall sorri e me ajuda a organizar meus cabelos. - Eu to toda suada!! - Digo rindo, e fazendo careta ao mesmo tempo.
Niall: Tá mesmo. Por que?
Eu: Porque aqui no meio é tão quentinho. - Digo risonha. Sinto Toddy soltar um suspiro por cima dos meus cabelos.
Toddy: Quer beber alguma coisa? - Assinto. - O que?
Eu: Algo gostoso e que não me faça vomitar. - Isso o faz rir e ele sai. Me sinto com frio no local onde ele estava antes, isso me faz encolher e tirar o sorriso maroto do rosto.
Niall: O que foi? - Niall pergunta com seu mesmo tom de sempre: Forte e sem demonstrar emoção alguma. Nunca dá pra saber se ele está alegre, triste, magoado ou qualquer outra coisa. A não ser quando ele ria.
Eu: E-Eu não sei... - Digo colocando a mão na cabeça, minha visão está meio embaçada e eu me sinto meio zonza, agora que o corpo de Toddy não está me mantendo em equilíbrio. - Sinto falta de Toddy. - Admito baixinho.
Niall: Mas ele acabou de sair.
Eu: Isso é tão estranho. - Encolho os ombros.
Niall: Você deveria dar uma chance a ele.
Eu: Mas e Max? - Pergunto baixinho.
Niall: Ele já te traiu... - Diz com a voz morna.
Eu: Eu sei que você acha isso, mas... - Ele me interrompe.
Niall: Eu não acho. Eu sei. Max te traiu. - Fico de boca aberta.
Eu: Como você sabe? - Pergunto, bem séria agora.
Niall: Conhecia Maxwell antes de você. Nem sabia que ele tinha uma namorada.
Eu: Preciso... Preciso me sentar. - Digo me sentindo toda zonza. As mãos de Niall apertam minha cintura com mais força, me ajudando a manter o equilíbrio. Ele me guia até uma mesa e tenta me ajudar a sentar, mas eu me recuso, continuo agarrada nele, me sentindo sem chão. Ele bufa e se senta, me levando consigo, fazendo com que eu me sentasse em seu colo. Eu fico encantada com esse gesto bobo, e nem entendo o porquê. - M-Mi-inha-a n-no-ossa. - Digo tremendo. - V-Você tem certeza disso? - Aperto com força a beirada da mesa, as pontas dos meus dedos ficam brancas. Ele solta um suspiro e assente.
Niall: Sinto muito. - Diz com a voz morna. - Eu nem deveria ter te contado isso. Porque não me deve respeito. Mas... Sei lá. Ver você recusar o Toddy sendo que rola maior química entre vocês dois me fez mudar de ideia. - Assinto, ainda meio zonza e fora de mim.
Max me traiu...
#Fim da primeira temporada
Continua...
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Olááááááá pipoquinhas doce!
Como vão? Espero que bem... 
Então, realmente, Maxwell Martinelli traiu (SeuNome) Sunner :c
É isso.
Volto amanhã pipocas.
Boa noite.
Beijos no popo :*
- LARY


Laser Light - 1ª Temporada - Capítulo 19 - Fanfic by Lary [:

Laser Light - 1ª Temporada - Capítulo 19 - Fanfic by Lary [:
Garota de sorte.

 As luzes são coloridas e piscam no ritmo da música, uma música eletrônica que toca bem alto, o lugar é todo preto e branco. As pessoas dançam bem pertinho uma das outras, as garçonetes usam vestidos rosas, bem clarinhos, e eles brilham conforme a luz bate nelas, o que faz com que seja fácil encontrar uma delas no meio da multidão. Uma mão quente agarra meu braço com força.
Toddy: Vamos ao bar. - Ele diz na minha orelha, porque não dá pra ouvir direito por cima da música. Eu assinto e ele me puxa para o bar, Niall e Hanna já estão lá, bebendo alguma coisa. A mão de Niall está sobre a cintura dela, e eles estão bem pertinho conversando um com o outro. Toddy pede alguma coisa pra mim que eu nem entendo o que é. - É vodka com suco. - Ele me explica, bem pertinho. Eu assinto e a bebida logo chega. É vermelha. Eu coloco na boca e acho uma delícia, doce e ao mesmo tempo amarga. Eu e Toddy ficamos um tempo ali, conversando e bebendo, eu bebo mais umas quatro daquela vodka com suco; me sinto meio zonza. Toddy pede outra coisa e chegam quatro copos com uma coisa meio dourada e com pedaço de limão ao lado. Niall e Hanna de repente estão ao nosso lado.
Hanna: Oba! - Hanna bate palmas, está com as bochechas coradas e parece bêbada.
Niall: É tequila. - Niall diz pertinho de mim. Eu assinto, me sentindo acesa e com um monte de energia pra gastar. - Tem que chupar o limão e jogar na boca depois.
Hanna: Assim ó. - Eu a olho, ele chupa o limão e bebe o líquido de uma vez só. Faz careta. - Uhuuul! - Diz toda acesa. Niall assente.
Niall: Vamos? - Ele pega um corpo e um limão, eu faço o mesmo. Nós dois chupamos o limão e bebemos a tequila em cima. É tão amargo. E queima tanto... Mas em deixou ainda mais acesa e eu estava adorando a sensação.
Toddy: Hora de dançar! - Ele já bebeu sua bebida e me puxa com força contra seu corpo, nós dois vamos até a pista de dança, onde as pessoas estão se esfregando e dançando. Eu não consigo ficar parada, sinto vontade de me chacoalhar no ritmo da música. E é isso o que eu faço. Toddy ri baixinho, mas também começa a se balançar. Eu começo a rir que nem uma boba, nem sei porque estou rindo, mas sinto vontade de rir, e começo a rebolar no ritmo da música. Toda acesa e alegre. Fecho os olhos, pra sentir melhor o ritmo da música, e me acostumo a dançar a mesma. Sinto mãos fortes me puxando com força, e meu corpo se choca contra o de Toddy. Suspiro e apoio as mãos em teu peito, sem parar de dançar; suas mãos estão grudadas em minha cintura, e eu estou amando sentir seu corpo quente contra o meu. - Você dança bem. - Ele diz baixinho. Eu começo a rir de novo, sem motivo algum.
Eu: Eu to rindo que nem uma retardada. - Digo sem parar de rir. Toddy ri baixinho.
Toddy: Meu anjo, você só está bêbada. - Eu pisco o olhando, parando de rir.
Eu: B-Bebâda? - Soluço. Levo a mão a boca. - Ops! - Digo sem jeito. Ele abre um sorriso todo fofo e suas covinhas aparecem.
Toddy: Bêbada, anjo. - Assente e me vira, de costas pra ele, puxa minha cintura com força contra a dele.
Eu: Eu não deveria... - Digo baixinho, entrelaçando os dedos em seus cabelos ondulados e macios. Ele coloca a cabeça na curva do meu pescoço, pra que a gente consiga continuar conversando.
Toddy: Por que não?
Eu: Porque eu tenho namorado. - Suas mãos se apertam com mais força em minha cintura. Nós não paramos de dançar por nenhum segundo, e parece que é automático, nossos corpos se balançam juntinhos e colados.
Toddy: Ele não está aqui... - Sussurra com a voz morna. Suspira com força na minha orelha, e eu arrepio. - Esquece ele... Estou aqui agora, anjo. Eu e você. - Beija de leve meu pescoço, meu corpo todo se arrepia a aquele toque quente. Eu arregalo os olhos e não falo nada.
Niall: E ai? - Niall grita ao nosso lado, o olho, está com as bochechas avermelhadas e o cabelo bagunçado.
Eu: Cadê a Hanna? - Grito de volta. Ele dá de ombros.
Niall: Achou um negão de dois metros e vazou. - Pisco várias vezes quando Toddy cai na gargalhada.
Eu: Vazou pra onde? - Pergunto sem entender.
Niall: Só Deus sabe. - Me puxa de Toddy, que se recusa a me soltar. - Vem dançar comigo agora. - Diz com a voz aveludada. Não parece um pedido, e sim uma ordem.
Eu: Mas eu gosto de dançar com o Toddy. - Digo fazendo um carinho de leve na mão quente de Toddy sobre minha cintura. Niall dá de ombros e vem na minha frente. Não sei direito como, mas estamos dançando. Os três. Eu acho graça naquilo e começo a rir, mas continuo dançando, agora com as mãos no peito de Niall.
Niall: Qual o seu problema? - Ele pergunta meio rindo, bem pertinho.
Eu: Eu to bêbada. - Digo achando a ideia divertida.
Toddy: Sim, você está. - Toddy diz, bem pertinho também. Me sinto aquecida no calor dos dois.
Eu: Saaaanduííícheeee de (SeeeeuNoooome)!! - Niall e Toddy caem na gargalhada, os corpos deles se balançam um pouco enquanto o riso quente se espalha no peito de cada um dos dois. Eu gosto daquilo. Estou quentinha e protegida. Tem dois agentes do FBI envolta de mim. A ideia é tão engraçada que eu caio na gargalhada de novo.
Toddy: O que foi agora? - Toddy pergunta divertido.
Eu: Eu gosto de dançar com vocês dois ao mesmo tempo. É bom... - A bebida tira as papas da língua das pessoas, então eu disse sem a menor vergonha.
Niall: Safada. - Diz com a voz morna.
Toddy: Muito. - Sua voz também é aveludada.
Niall: Porém...
Toddy: A gente também gosta de dançar com você.
Niall: É ótimo. - Eu suspiro e encolho os dedos dos pés.
Eu: Isso acontece sempre? - Pergunto curiosa. - Uma garota só?
Toddy: Não.
Niall: É a primeira vez. - Sorrio fechando os olhos quando uma garota passa e grita que eu sou sortuda, assinto sabendo que era verdade.
Eu era sortuda pra caramba.
Continua... 
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oooi gente (: 
Como vão? Espero que bem...
Capítulo totoso 8)
É isso gente.
Volto amanhã.
Beeeijos :*
- LARY