Image Map

I won´t give up 2 temporada Capítulo 11 Teia de mentiras


Acordei sentido meu corpo, todo e completamente dolorido, de um jeito bom... olhei pro lado e Liam não estava lá, do outro lado do quarto a mala preta me chamava, mas eu decidi que esperaria, que confiaria nele para me contar tudo, suspirei, apesar disso ser extremamente difícil, levantei e tomei um banho, a luz do Sol entrava no quarto iluminando tudo, velas derretidas estavam por toda parte, sai do banheiro e vesti uma blusa do Liam, me joguei na cama ouvindo meu estômago roncar, em poucos minutos a porta se abriu e Liam entrou, segurando uma bandeja e algumas sacolas de compra, bocejei ele sorriu se sentando ao meu lado -Com fome?- assenti -Um pouco... - ele colocou a bandeja sobre mim, os pezinhos sob a cama, sorri, havia suco, torradas, waffles, mel, calda de chocolate e café... sorri- Onde arrumou tudo isso? - foi a vez dele sorrir, me deu um beijo na testa e pegou uma das sacolas despejando o conteúdo na cama, em seguida pegou a outra e fez o mesmo processo, dentro haviam roupas que pareciam novinhas em folha, inclusive estavam com as etiquetas, haviam duas calças, três blusas, uma blusa de frio, uma touca, na outra haviam caixas, ele abriu revelando um tênis, e um par de sapatilhas pretas ,arqueei uma sobrancelha, ele sorriu - Espero que tenha acertado nos números... me levantei e fui até as roupas pondo a bandeja de lado, olhei ao redor e vi uma pequena sacola de compras, preta, abri... dentro havia sutiã e calcinha, arqueei uma sobrancelha e ele sorriu sapeca, quase no mesmo instante tirei a sua blusa e peguei um sutiã preto e uma calcinha preto vestindo-a, Liam me olhava maliciosamente, apesar de eu o estar provocando, sentia minhas bochechas coradas, mesmo assim, não havia nada ali que ele ainda não tenha visto, peguei uma blusa branca e um jeans preto, em seguida calcei a bota também preta, olhei pra Liam, ele assentiu aprovando, voltei á me jogar sobre a cama, pegando a bandeja e devorando as torradas, Liam apenas me observava, pouco tempo depois e eu já estava satisfeita, ele sorriu - Achei que estivesse com fome... - sorri - E estava... - o olhei - Mas agora estou curiosa - ele me fitou, o sorriso sumindo do seu rosto - Arrume-se... precisamos ir - levantei com raiva - LIAM! Você prometeu... prometeu que hoje me contaria tudo, e não me esconderia mais nada... - ele suspirou impaciente - Eu sei... e eu vou, só preciso de tempo - ele se aproximou, sai de perto dele - NÃO!  Você só está me enrolando... me deixe em paz... - disse pegando meu celular que só então eu havia notado em cima da cama e saindo quarto à fora, desci as escadas e fui pra fora, o jipe estava estacionado ali perto, suspirei arqueando meu corpo, o Sol batia contra meu rosto, sentia cada poro do meu rosto sugar o calor do Sol, peguei meu celular, a bateria já estava quase acabando, mesmo assim ainda estava ligado, haviam 5 mensagens na caixa de entrada, mensagens de Eve, e uma do meu pai, pedia pra mim ligar pra ele o mais rápido possível, não pensei duas vezes e liguei no número, dois toques depois e voz grave atendeu - Alô? - engoli seco, aquela não era a voz do meu pai, antes de mim responder porém alguém puxou o celular da minha mão o desligando - O que pensa que está fazendo? - Liam indagou rosnando, suspirei - O que acha? Pelo visto, ao contrário de você eu tenho pessoas que se preocupam comigo, meu pai por exemplo... Liam... - parei por um instante sentindo toda minha raiva escorregar do meu corpo - Aquela não era a voz dele... será que as pessoas que estão atrás de mim pegaram ele? - senti meu coração se apertar, meu corpo tremeu, de cima á baixo - Me dê o celular... - ele me encarou - Não - disse firmemente - Me.Dê.O.Celular... - falei igualmente mais firme... - NÃO - senti a raiva voltar á responder por mim- LIAM! TUDO ISSO É CULPA SUA... TUDO ISSO SÓ ACONTECEU DEPOIS DE QUE VOCÊ APARECEU... AGORA MEU PAI TAMBÉM ESTÁ NISSO... E A CULPA É SUA, ME DÊ A DROGA DO CELULAR E ME DEIXE FALAR COM ELE DROGA! - Pude ver Liam ficar vermelho, a fúria estampada nos seus olhos, ele se aproximou vagarosamente, senti meu sangue sumir, minha boca ficar seca - Quer me culpar? Culpe se quiser, não estou nem aí, o que eu deveria estar fazendo estou, você está viva e bem... mas não vou permitir que se preocupe com aquele desgraçado, a culpa de tudo isso é dele, realmente quer saber a verdade (Seu nome)? Bem aí vai uma, se quiser culpar a pessoa certa... culpe á ele... e não á mim, você é só uma garotinha envolta numa teia de mentiras... num mundinho construído especialmente pra te enganar, não posso simplesmente despejar a verdade em cima de você sem destruir tudo no que você acredita... então, só entre naquele jipe, só fale comigo quando quiser realmente saber a verdade, e tiver em mente, que seu pai não é essa pessoa boa que você acredita que seja... - Suas palavras, diferentes das minhas saíam ordenadas e cordenadas, a frieza com que ele as pronunciava me assustou, eu sentia minha cabeça girar... então eu era isso? Uma garotinha presa num mundo de mentiras prontas pra acabar comigo? E quanto ao meu pai? O que ele quis dizer com aquilo, a verdade é que Liam tinha razão... eu não estava pronta... não estava pronta para a verdade. Liam entrou na pousada e em seguida saiu com sua mala, e as sacolas com minhas roupas, ele entrou novamente e eu aproveitei pra dar uma escapulida logo depois de recuperar meu celular, sai andando até achar um pequeno banco de madeira com ferro, parecia aqueles banquinhos de praça, mas aquilo não me parecia uma praça, peguei o celular, eu nem mesmo havia chegado á ler as mensagens de Eve, e o que isso importava agora? Eu me sentia confusa e frágil, seria tão mais fácil entrar naquele jipe e seguir com Liam pra onde quer que ele fosse me levar, encontrar meu pai, abraça-lo, e tudo voltar á ser exatamente como antes, abracei meus joelhos, seria tão mais fácil... mas não seria o certo, seja lá do que Liam falava ele parecia ter raiva, ódio do meu pai, eu nunca jamais o vi causar mal á ninguém, o que quer que ele houvesse feito, eu tinha de saber, não podia permitir que as pessoas á minha volta simplesmente mentissem pra mim, foda-se se isso me faria infeliz, a verdade nesse momento é algo do qual eu preciso e necessito, e se eu continuasse á rejeita-la, só causaria mais sofrimento á mim mesma... senti meus olhos marejarem, mas isso não torna, de forma alguma, as coisas mais fáceis, pelo contrário, só torna tudo ainda mais difícil, confuso... complicado. As lágrimas rolavam quentes por minha face, senti uma mão quente no meu ombro, tentei engolir o choro o mais rápido possível, ele sentou-se ao meu lado... - Me desculpe, eu não deveria ter sido tão... ruim com você... - o abracei, e ele me envolveu com seus braços...-
A culpa não é sua... é, eu não deveria ter cobrado o que não... poderia. - ele acariciou meu cabelo - Eu não deveria ter jogado as coisas em você daquela forma... - suspirei - Mas jogou... então agore termine, conte... tudo - foi sua vez de suspirar - Tenho uma idéia, você me pergunta e eu respondo, perguntas fáceis, facilita... para nós dois... - assenti, me levantei com ele  e juntos voltamos para o jipe, ele me olhou duvidoso - Pode começar... - senti meu corpo estremecer... -
Tudo bem... primeira pergunta... Por quê quer me proteger?... E de quem  você me protege?...

---------------------------------------

Hey Cupcakes, como vão? Eu vou muito bem obrigada, o cap. ia ser menor, mas eu achei que seria maldoso da minha parte, enfim... comentem, e me contem, quais são suas teorias... Amo vocês

Kisses

I won´t give up 2 temporada Capítulo 10 HOT



[...] Meus olhos se abriram vagarosamente, o cinto de segurança ainda me prendia ao banco, eu sentia minhas costas doerem, a tarde já caia, olhei pra Liam - Não dá pra você dar uma paradinha? Eu preciso... - olhei ao redor - jantar eu acho... - ele se debruçou pra trás pegou uma sacola no banco de trás  e jogou no meu colo - Achei um mercado enquanto você dormia - na sacola
havia tudo quanto era besteira, olhei pra Liam incrédula... - Eu disse comida... sabe, o que não vai me trazer um câncer em duas semanas - Liam revirou os olhos - Tudo bem, no próximo restaurante a gente para - ele disse impaciente, mas eu estava vendo bem onde aquilo ia dar, não havia nada na estrada, exceto o asfalto e nós, a noite caia rapidamente, eu sentia frio mesmo com as janelas fechadas jà que o carro não tinha aquecedor, gotas grossas de chuva passaram à se chocar contra o pàra-brisa. Quase uma hora depois um letreiro neon indicava um restaurante à uns poucos metros da pista, mais á tràs parecia haver uma pequena cidade, Liam parou e em baixo da chuva nos esgueiramos para dentro do restaurante, era um restaurante rústico de comida caseira, tirando nós só haviam mais umas 4 pessoas, nos sentamos e uma senhora loira veio nos atender - Olà o que vão querer? - já ia pegar o cardápio quando Liam respondeu por nós dois - O prato do dia por favor - ele sorriu confiante, a senhora assentiu sorrindo e saiu, encarei Liam irritada - Escuta... - me debrucei um pouco sobre ele - Acho que... está na hora de você me dar algumas respostas não acha? - ele suspirou - Logo... aqui não é um bom lugar... - me joguei sobre o meu lugar ainda mais irritada, logo a comida chegou, suco de laranja e sopa de legumes, parecia delicioso,  avancei no prato enquanto estava quente, Liam como ao meu lado sem muito entusiasmo, acho que ele não era fã de sopa, sorri, bem feito, pensei,
em poucos minutos havíamos terminado e como sobremesa eu pedi um chesscake de morango e Liam pediu um hambúrguer, como se isso fosse alguma sobremesa (¬¬) , terminei de comer e só então parei para me preocupar com o dinheiro - Liam como vamos pagar? Estou sem um centavo. - ele sorriu - Apenas fica tranquila e vá para o carro... - assenti e sai voltando para o jipe, assim que me aproximei notei dois homens, um debruçado no capô, e outro parecia estar debaixo do carro - Hey o que estão fazendo?! - gritei através da chuva, eles levantaram e sairam cambaleando com suas garrafas de cerveja na mão, enquanto riam e corriam, balancei a cabeça, a chuva ainda caia com força, logo Liam estava atrás de mim - Por que não entrou ainda? - perguntou irritado - Por que não para de tentar mandar em mim - ele suspirou - (Seu nome)! Está chovendo! VAMOS! - ele exclamou me puxando, puxei meu braço - Pra onde? - ele suspirou - Não podemos decidir isso dentro do carro? - suspirei vencida, e segui com ele até o jipe, minha roupa encharcada, meu corpo, apesar do cochilo de mais cedo, precisava de uma cama, um banho quente, aconchego - Pode dormir... quando amanhecer te chamo pro café... - disse pisando fundo, o carro soltou um som estranho e depois fumaça, Liam olhou  confuso - Tinham dois caras fuçando aqui quando eu cheguei - ele me olhou com raiva, desceu e foi até o capô, mexeu, mexeu e nada, desci e fui até lá - Não adianta! Não enxergo nada, a chuva atrapalha, e nem acho que o problema seja aqui... Vamos achar um lugar pra dormir, e pela manhã achamos um mecânico... - assenti, ele voltou ao carro, pegou uma bolsa preta, as chaves e juntos saímos rumo á cidade, tudo estava ás escuras, nem se quer parecia um cidade de verdade, era muito pequena, andamos por quase quinze minutos até que achamos um letreiro agora apagado, onde estava escrito POUSADA, aquilo não me parecia uma pousada, mesmo assim entramos - Um quarto por favor pra passar a noite - O cara por trás do balcão sorriu, enquanto tentava limpar os restos de salgadinho da sua blusa - Claro, claro - ele entregou as chaves na mão de Liam , - Há e umas velas... - ele disse olhando ao redor, o balcão era iluminado por duas velas enormes, o cara sorriu - Tem velas no quarto senhor, vive dando esses apagões aqui, ainda mais em época de chuva. - Liam assentiu educadamente e pegou a chave, subimos um lance de escadas de madeira, e abrimos o quarto... Era marrom e rústico, bem rústico, mas tinha seu charme, Liam sacou um isqueiro e saiu acendendo as velas, fui pro banheiro, me despi, e tomei um banho quente, apesar da falta de luz, o chuveiro tinha aquecedor propio, a água quente parecia revitalizar cada músculo meu, ao mesmo tempo que os relaxava, aproveitei cada segundo e quando fui sair, olhei pra minha roupa no chão sem muita disposição para coloca-la, afinal estava enxarcada - LIAM! - gritei - O que foi? - ele respondeu um segundo depois do lado de fora do banheiro - Eu não tenho roupa! - disse meio desesperada, pude ouvi-lo abafar um riso - E onde está o problema nisso? - senti minhas bochechas corarem - Em tudo!  Será que você não tem uma camisa extra na sua mala... - pude ouvi-lo suspirar e dois segundos depois ele abriu a porta jogando sua blusa sobre a pia, eu felizmente estava de toalha... - Obrigada - fechei a porta e vesti a blusa cinza, ficou bem em mim, não como eu queria, um tanto curta - NÃO OLHA! - gritei - Se você insiste - ele respondeu maliciosamente, sai do banheiro, o quarto estava iluminado por velas e mais velas, do outro lado eu podia ver Liam, só de calça, ele se virou... - Você disse que não ia olhar! - ele levantou os braços em símbolo de rendição - Desculpe... desculpe - suspirei e me joguei na cama me cobrindo, ele sorriu e foi pro banheiro. Assim que me vi sozinha um mundo de preocupações se abriu... serà que Eve estava preocupada, e meu pai? Serà que alguém sabia do que realmente havia acontecido... afinal o que realmente havia acontecido?! Do outro lado do quarto, numa cadeira que parecia delicada demais pro lugar havia uma cadeira, e sobre ela a mala preta de Liam, engoli seco, ele estava me escondendo algo, e eu ia descobrir o que era, levantei e na ponta dos dedos fui até ela, abri vagarosamente o ziper, dentro havia algumas roupas, era a mala que ele ia levar para a minha casa, tentei enfiar a mão no fundo pra saber se realmente tudo era roupa quando uma mão puxou a minha - O que pensa que está fazendo? - ele rosnou, me soltei - Respondendo as perguntas que você não responde - ele suspirou irritado - Por que tem que ser tão teimosa? - voltei á pegar a mala - Não mexa aí! - revirei os olhos - Óh, você não manda em mim... - ele segurou meus dois braços e me puxou contra seu corpo me empurrando até a parede - Talvez
não... mas ainda sou mais forte que você. - seu corpo estava pressionava o meu contra a parede- E o que vai fazer agora? Me arrumar - ele soltou um riso debochado, arqueei uma sobrancelha, e ele avançou em meus lábios fazendo o beijo quase dolorido, suas mãos seguravam meus pulsos acima da minha cabeça, seu corpo contra o meu transmitia calor, assim que ele terminou de me beijar eu me soltei e voltei a tal mala, quando ia abri-la novamente Liam me puxou pela cintura me jogando sobre a cama... Voltou a prender meus braços e me beijou ferozmente, eu não ia deixa-lo... eu não... ele desceu seus lábios pro meu pescoço, arfei e ele sorriu, suas mãos quentes desceram para a lateral do meu corpo, e subiram por baixo da minha (sua) blusa parando sobre meus seios, gemi baixinho, ele os apertou suavemente, e tirou minha blusa voltando á me beijar, seus lábios desceram pro meu seio e em seguida pros meus mamilos, meu corpo se arrepiava á cada toque seu, eu gemia sem nem mesmo perceber, suspirei irritada, e sai de baixo de Liam, me sentei no seu colo ele estava sentado e eu o empurrei sobre a cama, ele riu, seus olhos escuros tomados por malícia, mordi o lábio suavemente, ele estava sem camisa com um moleton, eu sentia seu membro sob mim, corei, me debrucei sobre ele e voltei á beija-lo, minhas mãos se prenderam na barra do seu moleton e o puxei para baixo, eu podia ver seu membro dentro da box pulsando para mim, suspirei mordendo o lábio e me sentei sobre ele, a cara de tortura dele chagava á ser engraçada, sobre ele eu rebolava vagarosamente, sentia minha intimidade úmida e quente, ele suspirava com força, quase de repente eu estava novamente debaixo dele, rapidamente desceu minha calcinha e em poucos segundos seu membro já estava fora da box, ele olhou pra mim e eu assenti permitindo-o prosseguir, ora, e que outra escolha eu tinha, em poucos segundos senti ele vagarosamente colocar seu membro em minha intimidade, arfei e soltei um gemido baixo, ele ficou em movimentos vagarosos, indo e voltando - L-Liam... por favor - implorei em certo momento, ele sorriu e passou á estocar em movimentos rápidos e precisos, senti um espasmo no meu corpo que convulsionou num orgasmo, Liam continuou á estocar e em poucos segundos eu senti seu líquido quente me invadir e seu corpo caiu ao lado do meu... suspirei cansada, a chuva lá fora ainda caia com força, ele me puxou pro seu peito e beijou o topo da minha cabeça, bocejei... -V-você sabe que não deveria me esconder... nada. -ele suspirou - Eu sei... - olhei pra ele, diretamente em seus olhos - Então me conte... tudo. - ele ficou em silêncio, meus olhos pareciam querer se fechar por conta própia - Vou contar... durma, e pela manhã você vai saber tudo o que precisa saber... pequena. - ele disse por fim, meus olhos se fecharam e eu pude dormir ouvindo as suaves batidas do seu coração...

---------------------------------------------------------------------------------

HEY LIAMDAS! como estão? Muito zangadas comigo? Me desculpem pela demora meninas, minha internet foi-se (:\) e eu fiquei pelo 3g q torna quase impossível postar, BEM a BOA notícia é que agora meu notebook está concertado e eu já voltei á usa-lo, ou seja, vou aparecer aqui muito mais frequentemente (\o/) beeem, é isso, um hot ( não ficou muito legal mas tá valendo) pra vocês me perdoarem pela demora, comentem, amo todas vcs

XoXo

Feel the love - 1° temporada - Capitulo 17 - "Elevadores."

Capitulo 16 - "Elevadores."




Harry atacava os meus lábios como um leão ataca a sua presa. Rápido, preciso, selvagem...
Eu queria toca-lo, eu queria senti-lo, sentir cada parte que me era permitida.
Mas Harry segurava meus pulsos contra uma das paredes do elevador.
- Oh, Mariana... - ele sussurrou entre uma mordida no meu lábio inferior - eu não posso mais conter isso. - e então os seus lábios atacaram o meu pescoço, os seus beijos eram tão quente quanto eu imaginava.
Os seus lábios eram ágeis e suas mãos livraram-se das minhas, repousando uma em minha nuca e a outra em minha perna, trazendo-a na altura de sua cintura.
Sua mão puxava levemente o meu cabelo, me obrigando a inclinar a cabeça enquanto ele tinha mais espaço para depositar os seus beijos.
Beijos molhados, longos e quentes. Com sede e pressa.
Não demorou muito para que eu tomasse seus cabelos em minhas mãos e trouxesse os seus lábios de volta para os meus,
Seus lábios eram quentes e rápidos, entre beijos e mordidas, quando, contra a minha vontade, ele sessou os beijos, encostando sua testa na minha enquanto eu recuperava o folego
- Eu... eu não consigo mais... me... controlar... - ele tentava dizer enquanto eu roçava os meus lábios nos dele
Você não precisa. - eu disse enquanto deslizei minha mão pela sua nuca.
O começo de um sorriso se formou em seus lábios, seguido de um movimente rápido e preciso em volta da minha cintura, colocando-me em seu colo.
Seus beijos voltaram, dessa vez ainda mais quentes e intensos.
Eu estava mais alta do que ele, o que fazia com que ele inclinasse o rosto para tocar os meus lábios, parecendo ainda mais sexy desse angulo
O elevador rodeado de espelhos refletia vários de nós, o que fazia com que ficasse mais quente ali dentro. E fazendo com que cada vez mais, eu tivesse vontade de tirar cada peça de roupa que vestia.
A vontade de Harry não era diferente, levando em conta sua mão deslizando pela minha perna, por baixo da saia que eu usava e, parando na barra rendada da minha meia calça.
- Terreo. - foi o que o elevador anunciou, em vão.
Eu queria cada vez mais sentir o seu gosto, as suas mãos deslizando pelo meu corpo...
- Oh droga. - Harry conteve o beijo ao ouvir a voz - desculpa! sério, desculpa! Ai senhor! Eu estou indo.
Harry sorriu divertido enquanto mordeu os meus lábios me devolvendo ao chão
- Olá Kyle. - Harry disse ainda de costas para ele que tinha ima feição assustada.
- Eu... Eu...
- Carro, você vai pro carro. - completei
- Isso!  Carro. Desculpa. - ele se virou
Harry esperou que ele se distanciasse para me olhar sorrindo enquanto colocava o meu cabelo atrás da minha orelha.
- Elevadores... - rimos - Eu acho melhor você ir. 0 ele deu um passo para trás enquanto eu consenti rápido e nervosa.
Eu não sabia como me comportar, o que dizer, o que fazer...
- Am... até mais. - disse dando um passo á frente quando Harry segurou minha mão, fazendo-me virar para olha-lo.
Agora sua feição era séria, como o Styles que eu conheci, mas suas mãos eram quentes, como as do Harry de segundos atrás.
Eu o olhei e ele deu um passo a frente, se aproximando mais de mim e fazendo com que eu involuntariamente fechasse os meus olhos, esperando por sua reação.
Ele se aproximou e por fim, depositou um beijo longo e demorada na minha testa. Me deixando, confesso, um tanto quanto frustrada.
Sorri fraco enquanto me virei e saí do elevador. Andando, não sei como, sobre os meus saltos
Me aproximei do meu carro em meio a garagem vazia. Kyle estava sentado no capô, olhando o nada.
Apertei as chaves do carro em minha mão, o que fez com que o carri fizesse barulho e Kyle se assustasse.
- Ai! - ele gritou assim que eu me aproximei rindo de seu susto. - eu tô muito bravo com você! - ele disse enquanto nós entravamos no carro.
- Desculpa - disse ainda rindo
- Você disse que passaria na agencia, para irmos embora juntos, demora uma eternidade, me faz vir até aqui atrás de você e ainda me faz passar vergonha enquanto você e o seu chefe se pegam no elevador.
Eu olhei para ele que fingia estar bravo, fingimento que durou cinco segundos até que começássemos a rir.




Story Of my Life - 1º temporada- Capitulo 14 - " Ciúme." + EXTRA.




Capitulo 14 - " Ciúme."






 
"Flashback On"



"Louis P.O.V"

Era uma sexta feira, tínhamos uma entrevista em uma radio famosa de Londres. Todos queriam saber quem era  o One direction. E nós, eramos os responsáveis por nos apresentarmos ao mundo.
Havia um clima tenso entre mim e Harry durante toda a semana. Para ser mais especifico, desde o dia em que juramos que nada mudaria, que continuaríamos  os mesmo independente da nossa relação.
Acho que não somos muito bons com promessas.
Olhe agora, estamos nós dois no mesmo apartamento, no mesmo sofá, a quilômetros de distancia, como se não houvesse ninguém aqui, havia uma barreira entre nós.
Apenas duas pessoas vazias, esperando o tempo passar com a certeza de que deveriam fazer algo, mas não fazem.
E ele, assim como eu, sabe que nos arrependeremos por isso.
Meu telefone tocou e antes que pudesse chegar ao segundo toque, eu já havia atendido.
- Sim? - disse a Simon, do outro lado da linha
- Nós já chegamos, vocês podem descer.
- Ok.
- Harry está com você?
- Sim. 0 olhei para ele - nós já vamos descer.
Harry não esboçava nenhum tipo de emoção, deslizou as mãos por suas pernas e se levantou enquanto eu devolvia o celular ao bolso.
Me levantei e fui até a porta, abrindo-a e esperando por Harry, que passou por mim, parando após um passo, na minha frente.
- Eu não gosto de como estamos... - arrumou a gola da minha blusa e entrou no elevador.
- Eu também não - disse ao colocar os pés para dentro do elevador - nem um pouco - completei assim que chegamos ao saguão, onde Simon e os outros já nos esperavam
-HEY! - Niall disse empolgado
- Oi. - disse com um sorriso forçado enquanto entrei no carro e ainda pude ver:
- O que deu nele? - era a pergunta de Niall para Harry, que deu de ombros como se não soubesse
Todos eles entraram no carro, sorrindo e brincando. Empolgados, com razão
Harry mantinha uma distancia incomoda de mim. Assim como eu, ele não se misturava nas brincadeiras. Apenas fitava o celular e me fazia pensar o que infernos havia ali que atraia toda a sua atenção para ele.
O caminho parecia infinito, parecia nunca chegar e eu já estava me esgotando daquele ambiente.
Por fim, quando chegamos, nos deparamos com uma multidão de garotas gritando e chorando.
Nós passamos por elas, parando aqui e ali para alguns autógrafos ou fotos.
Essa foi a única hora em que eu vi Harry substituir o celular para dar atenção e carinho para pessoas que mal o conheciam.
Eu sei que são nossas fãs, mas nenhuma delas sabia nem a metade do que eu sei sobre Harry.
Simon mandou que fossemos rápidos, para  logo entrarmos na radio onde cinco cadeiras estavam organizadas de frente para o locutor.
- Vamos começar a entrevista com a futura maior boyband da história! One Direction!
- Heeey! - e todos respondemos, cada um em seu tempo.
Eu estava em uma ponta e Harry na outra, com três caras eufóricos entre nós. O que dificultava a minha visão sobre ele.
- E então, garotos? Essa é a primeira entrevista de vocês, não é?
- Sim, é! - Liam respondeu.
- Como é saber que, mesmo ficando em terceiro lugar, de certa forme, vocês ganharam. - ele apontou para as fãs.
- É maravilhoso- Niall respondeu - É ótimo porque, sim,  nós não ganhamos o programas, mas olha só, nós ganhamos elas! - ele parecia tão feliz.
- Zayn, como é sair e ter milhares de fãs do lado de fora?
- É louco, assustador até. Mas nós já conseguimos perceber que elas só querem o nosso bem, não vão nos fazer mal.
- Muito bem... E então, garotos. Agora que vocês são famosos, já pensaram em quantos telefones das celebridades vocês terão?
- Ah sim. - a voz de Harry fez com que eu me sentisse tendo - Essa é sem duvidas a parte boa do sucesso - eles riram - você pode ter contato com as famosas - ele piscou e eu podia jurar que havia um sorriso pervertido dos infernos estampados em seu rosto.
- É mesmo, Harry? - me inclinei para poder vê-lo quase que por impulso
- Sim, Louis. - ele completou
E então uma teoria insana surgiu na minha cabeça. Quem era a famosa que dividia a atenção de Harry naquele celular?
Essa foi a primeira vez que eu senti ciumes, de um jeito diferente de Harry.


Parte Extra:
A entrevista prosseguiu, eu apenas concordava com sim ou não enquanto Harry parecia a pessoas mais feliz do mundo.
Por fim, aquela tortura acabou, nós finalmente voltariamos para casa.
(...)
O caminho foi silencioso, Harry não largava aquele inferno de celular enquanto tinha um sorriso em seu rosto.
Um sorriso que eu queria que tivesse outro motivo.
Em silencio enteamos no elevador
-Am... eu gostei de hoje - disse a primeira coisa que veio em minha cabeça. - você gostou?
-aham. - Foi só o que eu obtive.
- Você viu como as fãs estavam? Loucas!
-Aham. - Eu estava a ponto de jogar aquele celular no chão
- Você pode por favor olhar para mim? - disse irritado.
Harry deixou o celular por alguns segundos e me olhou
- O que?
- Não é possível que você ainda não percebeu, Styles. - ele deu de ombros, confuso.
- Não percebi o que?
-Eu peguei seu braço, trazendo-o para mais perto de mim enquanto tirava o celular de suas mãos e sentia o seu corpo se encostar no meu.
- Você pode por favor para de ficar no inferno desse celular e me dar atenção? Porque se você não percebeu, eu estou morrendo de ciumes de todo esse inferno.
"Harry P.O.V"
E aquela foi a primeira vez que ele não hesitou em tomar os meus lábios.





HEEEEEEEEY SWEETHEARTS! Como vocês estão? Eu sei que não apareci sexta, tive médico.
Então, como eu sou uma pessoa muito boazinha, eu deixei uma pequena parte extra nesse capitulo, o que vocês acharam? Finalmente o beijo Larry! haha Bom meninas, desculpem por sexta e nos vemos amanhã. Só para avisar e deixa-las curiosas: Comecei a escrever e planejar Drunk in love hoje, logo terei uma sinopse e deixo aqui, ok? Beijinhos, amo vocês <3

Friends - Capítulo 16 -Surgi um novo mentiroso

 
 
-Ô, ô...- Karen disse de frente pro seu MacBook.
-O que foi?- perguntei procurando por alguma roupa de ano novo, hoje já era dia trinta.
-Nada não. -disse nervosa e cheguei perto dela, ela fechou rapidamente a tela.
-Karen! Deixa eu ver!- ela segurou o MacBook e correu pelo quarto. - Karen Shay Fox! Eu exijo ver agora!- ela riu e me mantive séria.
-Eu não devo fazer isso na noite de ano novo.
-Shay, além de me assustar está me deixando nervosa, anda! Deixa eu ver.- ela me entregou o Mac, abri o mesmo, pus sua senha e já li o título era uma notícia.
''Não conheço ela direito'' Foi o que Harry declarou nesta manhã. Há vários rumores desde o natal que se passou, que Harry esteve com uma menina, atualmente conhecida como amiga dos membros da banda. Fãs disseram que Harry estava aos beijos na noite de natal, por volta de meia noite e meia. Hoje foi que tivemos contato com Harry e o perguntamos, ele disse que nem a conhecia direito e que estava namorando com Caroline Flack, e então directioners... Acreditam nisso?''
Eu não sabia se o que eu sentia era ódio dele ter mentido ou ódio de ter beijado lábios de uma pessoa tão falsa e nojenta como ele.
-(seunome)... - eu não emitia nenhuma reação, apenas respirava fundo tentando tirar as imagens e o gosto do beijo de Harry.
-Karen, de boas. Ele está certo.- sorri de canto.
-Você ainda vai passar o ano novo com eles?- sim, fomos convidados(mãe, pai, eu e Karen) para passar ano novo com os cinco, na verdade, estaria somente Harry, Liam, Louis e seus pais, juntamente Flack estaria lá.
-Claro que vou! Isso só causou imagem ruim para ele, não para mim. E que se dane, minha felicidade não se baseia em Harry.
-É assim que se fala amiga!- me abraçou forte, era o que precisava um abraço .

-É tia...  O Harry simplesmente se desfez dela.- Karen estava dizendo pra minha mãe, aposto que minha mãe me viu cabisbaixa quando saímos
-Eu mato esse garoto!- ela disse brava.
-De boas, eu te ajudo.- riram.
-Gente, vamos? -perguntei e meu pai chegou ao meu lado.
-Claro!- papai disse animado.- sorridente.


-Musa!- Liam abriu os braços e me deu um abraço forte.
-Hey Leeyum.- disse baixinho
-Já viu?
-Claro, todos viram.- ri pra tirar aquele tom triste, ele apenas concordou, abraçou Karen que se emocionou na hora, como toda directioner.~
-Mãe bonita em Musa!- Liam disse deixando minha mãe vermelhinha
-Obrigada!- mamãe disse.
-Musa, deixa eu apresentar logo meus pais. Esses são meus pais, meu pai, Geoff e minha mãe  Karen.- eu ri lembrando que era o mesmo nome da minha melhor amiga.
-Prazer.- disse e eles foram muitos gentis.
-Minhas irmãs não puderam vir, mas tenho certeza que se dariam muito bem.- assenti dizendo um ''com certeza''.
-Musa e Karen, venham cá.- Louis nos chamou, onde estava Harry, Carol e provavelmente os pais dos dois(Louis e Harry) Fomos até lá, meus pais ficaram com os pais de Liam conversando e rindo.
-Mãe, esta é Karen.- Louis disse e sua mãe parecia ter ficado toda feliz, acho que Louis falou de Karen pra ela.
-Você é mais bonita do que pensei!- a mãe de Louis disse cumprimentando-a.
-Obrigada! Você é mais bonita ainda ao vivo!- riram e começaram a conversar.
-Musa, você já conheceu né...- Louis disse risonho e me abraçou -Meu padrasto não veio, mas... Minha mãe ta aqui, olha vou fazer isso mesmo porque o Harry sumiu. Essa é a mãe dele, tia Anne.
-Nossa que mãe gata que ele tem!- disse baixinho para Louis, porém Anne escutou
-Obrigada... Musa?- rimos e concordei dizendo que era um apelido -Prazer.
-O prazer é todo meu.- disse.
-Essa é Gemma, minha filha mais velha.- Gemma tinha um sorriso no rosto, ela era tão lindinha.
-Hey!- ela abriu os braços e a abracei.
-Tudo bom?- perguntou no meu ouvido e concordei.
-Tenho umas ideias...- Louis chamou a atenção de todos. -Que tal pais ficarem com pais e... Jovens adolescentes ficarem com jovens adolescentes.- rimos
-A não, agora gostei da Musa!- Anne disse deixando um silêncio reinar, Harry olhou pra mim e encarei Flack que me olhava com nojo.
-Depois conversamos Anne.- rimos e ela foi pro canto dos pais.
-Vamos nos sentar aqui fora.- Liam disse e fomos todos pra varanda do hotel.
-Vamos cantar? - Karen perguntou a mim.
-Sei não Julieta...- ela cerrou os olhos com meu sorriso malicioso
-Hum-hum, Mike não iria gostar que...
-Ãn?- ela havia saído sem terminar. Rolei os olhos até Liam e perguntei onde era o banheiro, ele me disse que poderia ser o daqui de fora. Fui até o caminho que ele me indicou e tive que me esbarrar com Harry.
-Musa, podemos conversar?- olhei bem em seus olhos.
-Acho melhor né? Quem saiba você me conheça melhor assim. -sorri cínica cruzando os braços
-Não foi o que eu quis dizer.
-Harry, eu to nem aí pro que você queria ou não queria dizer. Você aí eu aqui, você com Flack e eu com...- respirei fundo temendo o nome que eu diria.
-Você com...?- perguntou
-Não interessa, só sei que não quero falar com você mais sobre isso. Não quero mais te ver, não quero mais te beijar, só quero que me deixe em paz. -disse isso tudo o encarando e logo entrei para o banheiro.
-Desculpa.- falou baixo e respirei fundo me mantendo dentro do banheiro.- Tchau. - eu estava com muita raiva dele, e eu não podia chorar pelo menos aqui agora
-Droga Harry.- sussurrei baixinho sentindo minha voz embargar, levantei os olhos sentindo um alivio da água que acumulava meus olhos. Saí do banheiro dando de cara com Carol me encostada na porta do banheiro.
-Oi (seunome). -sorriu cínica
-Carol... Já estou cheia de problemas está bem? Por favor me tire de menos um.- andei deixando-a para trás
-Olha pra mim.- segurou meu braço com força e me fez encara-la -Pra não ter problemas comigo, é só não se meter com Harry.
-É só falar pro seu namorado não se intrometer no meu caminho Flack.- disse séria e voltei donde eu estava. -E aí gente? - perguntei me sentando e sentindo  o peso do olhar de Harry sobre mim.
-Harry... Tenho que ir.- encarei Harry e Flack na mesma hora - O que está olhando?- perguntou me encarando.
-Encarando ceninhas de Flack, quem saiba me inspire para fazer um filme um dia!- ela me ignorou e voltei a falar com os meninos.
-Está tudo bem?- Karen saiu do lado de Louis para falar comigo.
-Conversamos lá em casa.- assentiu e continuamos a conversar.
-A gente tinha que cantar.- Louis sugeriu
-Beijos gente!- Carol disse, só os meninos deram trela, eu dei um sorriso meia boca igual a Karen.
-Karen é a melhor cantora que eu conheço!- afirmei e os meninos a encararam
-Sério? -Louis perguntou sorridente.
-(Seunome) que diz... -Karen me olhou envergonhada.
-E aí gente?- não acreditei em quem eu estava vendo -Musa...- Niall sorriu misterioso.
-Niall?- Harry disse meio sem acreditar.
-Hey Harry!- Niall piscou e veio se sentar ao meu lado me abraçando
-Que saudades Musa.- disse me abraçando de lado e bem forte. -Quem é essa menina linda?
-Ai... É-é o Niall!- Karen começou a chorar eu ri um pouco e Louis tentou acalma-la.
-Niall, essa é minha melhor amiga, Karen.- sorrimos largo.
-Eu te amo.- ela disse e Niall se levantou para abraça-la.
-Também te amo Karen.- ela desabou ali de tanta felicidade.
-Amiga se acalma, antes Louis do que Niall. -sussurrei em seu ouvido mas somente Niall escutou e riu.
-Fiquem aí que Musa e eu vamos conversar.- Niall disse risonho.
-Musa, achei que era de Harry?- Louis disse brincalhão.
-Não Louis, Harry já tem dona.- disse risonha e pisquei pra Harry.


-Musa, já conversamos sobre tudo...- Niall disse, estávamos dentro da suíte do hotel, acho que em um quarto... Provavelmente do Liam.-Mas tem o principal.
-É...
-Você ficou com Harry?- concordei -Poxa Musa... Aí complica!- ele riu
-Desculpa Niall...- disse meio sentida
-Que isso... Mas, você gosta dele?
-Se eu for franca... Você vai contar pra ele? -disse como uma criancinha.
-Não Musa, porque eu faria isso?- o olhei como se fosse óbvio.
-Eu gosto dele, mas ele simplesmente se desfez de mim Niall. Eu sou o que? Um lixo?- disse indignada
-Olha... Ele gosta de você, de verdade.- encarei Niall
-Niall, pra mim não interessa. Se ele gosta mesmo de mim já teria largado Flack.
-É difícil quando a Modest quer uma boa imagem.- o encarei confusa.
-Outra quanto tempo mais longe do Harry será melhor. - disse decidida.
-Eu gosto de você, mas Harry gosta mais.- sorriu largo bagunçando meu cabelo. -Me abraça, vem cá.- se levantou e o abracei forte.


-Obrigada Niall.- disse em seu ouvido e beijei sua bochecha.
       OOOOOI! BOA TARDE PARA TODAS :*MUITOOOO obrigada pelos comentários, e sim Isabel, tenho twitter e tenho dois mas o que mais uso é esse aqui:

I won't give up 2° temporada Capítulo 09

Meu sangue gelou, minhas pernas travaram como se estivessem imersas em gelo, todos os meus mùsculos pareciam não responder meus comandos, de repente eu senti algo, um corpo sobre mim, ele havia me derrubado no chão, o impacto do tombo fez meus sentidos despertarem, olhei assustada pra cima e vi Liam me olhando em alarde - Você està bem? - assenti rapidamente, outro saco de açucar derramava sobre nossas cabeças, rapidamente Liam me colocou de pé e se pôs à correr, mesmo me puxando ele corria ràpido, de repente me dei conta do perigo da situação, latas de conserva, embalagens, latas de refri, tudo estourava ao nosso redor, corrìamos abaixados, quando finalmente alcançamos a parte de fora, não era o meu velho carro aos pedaços que nos aguardava là fora, mas um jipe preto com janelas escuras maior do que eu, Liam sacou uma chave e entramos rapidamente enquanto ele pisava fundo no acelerador, meu corpo ainda parecia congelado, assim como meus sentidos, Liam desviou rapidamente o olhar da pista para me encarar - Tem certeza que você està bem? - ele perguntou realmente preocupado, dei um ràpido aceno com a cabeça - ... é que você tà meio pálida. - o encarei vagarosamente, de fato, eu devia estar parecendo um giz agora, mas Liam parecia como sempre, relaxado e confiante, ele sorriu e segurou na minha mão, sua mão parecia pegar fogo se comparada com a minha, eu nem mesmo sentia meu sangue fluir, ele diminuiu a velocidade e me encarou sorrindo - Não vou deixar que machuquem você - ele disse confiante, depois de cinco minutos eu respondi - Essa é a questão... - Liam me encarou -... Por que querem me machucar? - completei, ele apenas balançou a cabeça e sem expressão nenhuma continou à dirigir, depois de um tempo olhei pra estrada, quando voltei à sentir meus dedos - Para onde està nos levando? - perguntei preocupada, ele me lançou um olhar e voltou æ
á olhar pra estrada - Não podemos voltar pra sua casa, não é mais seguro là, nem mesmo comigo te fazendo companhia, eles estavam de olho em você... precisamos sumir. - olhei pra Liam assustada, sua CALMA era assustadora, eu estava à ponto de surtar, e ele ditando tudo aquilo com a mesma emoção do cara da previsão do tempo. Aliàs como ele sabia de tudo aquilo? O encarei com raiva - Como sabe de tudo isso... Liam? - minha voz expressava tudo o que eu sentia, desconfiança, insegurança, raiva, O QUE DIABOS ESTAVA ACONTECENDO, por que estavam tentando me matar, por que Liam estava determinado à me proteger, por que tudo na minha vida parecia errado e incompleto, eu encarei Liam com um pouco mais de raiva - COMO SABE DISSO? - Perguntei furiosa, ele me olhou impaciente - Agora não é um bom momento (Seu nome)... - tentei engolir um pouco da raiva, de fato agora não era a hora, era a segunda tentativa de me matar em dois dias, por que agora, mais do que nunca eu tinha certeza que o assassinato de Suzanne podia ser jogado nas minhas costas, mas as perguntas continuavam, as dúvidas continuavam, olhei pra Liam semicerrando os cìlios e depois de um tempo assim, o avaliando me joguei no banco atrás de mim, e coloquei o cinto de segurança que só então eu havia notado que estava sem, eu não sabia pra onde Liam me levava, mas ele parecia concentrado nisso, ou talvez em outra coisa, parecia arquitetar algo, eu quase podia ver as engrenagens se movendo e a fumaça saindo... eu também deveria estar fazendo isso, também deveria estar tendando resolver, responder, as dúvidas pendentes na minha cabeça, mas naquele momento, em questão, só uma me incomodava - Quem é você Liam Payne? - perguntei com a voz rouca.

--------------------------------------------------

Bem meninas, i'am back \o/ kkk nem tô em casa, mas com esforço to me virando aqui pra postar, eu fiquei MEGA ULTRA SUPER FELIZ com os comentários, amo tds vcs, enfim, o cap. tá pequeno pq é o certo, comentem, volto amanhã.
AMO VOCÊS.

Friends - Capítulo 15 - O melhor amanhecer até hoje

  Vaguei lentamente deitada do meu lado da cama de casal, torcendo para que não acordasse Karen, na verdade, nem olhei pro lado para ver se ela dormia, ainda me mantinha de olhos fechados. Ontem Karen e eu acabamos sem nos falar(na verdade hoje, porque voltamos pra casa uma da manhã)
-Bom dia dorminhoca!- Karen disse em pé mas logo voltou pra debaixo dos lençóis ao meu lado
-Bom dia Karen!- disse sorridente, nossos sorrisos no entregava. -Você beijou o Louis?- perguntei e ela gargalhou alto
-Pra me gabar... Ele me beijou!- ela disse se contorcendo na cama e nos sentamos- Aí depois de uns quinze minutos, eu o beijei.- pus a mão na boca risonha.- E por último, um beijo de despedida de nós dois... Mas esse só foi um selinho.- disse cabisbaixa. -E vocês em? Nós dois vimos... Você e Harry...- ela olhou com malicia.
-Não creio que viram!- ri.
-Vimos e rapaz em... Que beijão! E teve dois!- riu, verdade, nos beijamos duas vezes;
-Vocês nos seguiram?- ri desconfiada.
-Ficamos meio que atrás de vocês para que não nos perdêssemos, por isso vimos! Ele beija bem?- balancei a cabeça pra cima e pra baixo indicando um sim.
-Ele beija muito, muito bem! E desculpa o jeito, você sabe que eu não digo isso... Mas ele tem pegada!- eu ri baixinho com o que disse.
-(Seunome) sua safada!
-Nem vem, eu sei que você estava doida pro Louis te pegar.- disse risonha.
-Ele não tem lá muita pegada, tipo... Nas mãos sabe? Mas nos lábios, que garoto prático! -rimos
-O Harry me deu um urso de pelúcia, médio... Quer ver?- ela assentiu animada e peguei o urso em cima da cadeira giratória.
-Oh! Que amorzinho!- balancei a cabeça concordando
-Louis só me deu o melhor beijo da minha vida, e olha que já beijei muitos!- Karen disse com um olhar safado e brincalhão.
-Louca!- disse e nos levantamos começando a dançar com seu celular. -Pera, esse é o seu toque demente!- rimos e ela correu pra atender, eu corri pra pegar o presente dela e dos meus pais.
''Ahaam, tem problema não... Não, obrigada... Não quero passar o ano novo com minha família sendo que meus pais não estarão presentes... Não me manda nada como desculpas. Vocês sabem que eu não tenho mais sete anos, isso não adianta. Feliz natal pra vocês porque pra mim... Beijos, tchau''
Karen bufou se sentando na cama deixando uma lágrima cair de seus olhos.
-Amiga... Vem cá!- a abracei assim que me sentei ao seu lado- Liga não, eles te amam.
-Eles amam o dinheiro (seunome), eu só sou uma vírgula que atrapalha a vida deles.- ela estava realmente chorando no meu ombro.
-Olha, para de chorar, porque eu vou te dar seu presente e tem que ser só alegria!- ela riu e mandei que ela fechasse os olhos. -Pode abrir!
-Caramba! - o presente só estava em uma caixa pequena e uma tampa já da caixa com a marca embaixo-(Seunome)!- ela secou o resto das lágrimas. -Você me deu o que eu mais queria!-ela sorriu largo.
-Eu sei, você só falava desse perfume estrangeiro. Tive que pedir pra minha tia lá dos EUA ligar pra um namorico dela e ganhar grátis o perfume.
-Muito obrigada amiga!- a abracei forte. -Agora, vou te dar o seu presente.- rimos e me sentei na cama fechando os olhos. -Abre os olhos. -abri e dei de cara com um cordão, tinha um pingente de coração cortado escrito, ''bf'' e o segundo f estava cortado, como se alguém fosse completar. -A minha parte está aqui.- amostrou. -Eu mandei fazer pra nós duas. - ela virou o cordão. -Está vendo? Aqui atrás do seu pingente, tem o meu nome e aqui atrás do meu pingente tem o seu nome.
-Obrigada Karen!- foi minha vez de abraça-la forte.
-Ainda tem mais meu bem! Mas está lá em Cambridge.- arregalei os olhos
-O que é?! -perguntei curiosa.
-Uma turma de estripes masculinos.- disse séria
-SÉRIO?- gritei horrorizada e ela riu
-Não, lógico que se fosse não iria te dizer.- rimos. -Mas essa surpresa vai ser de aniversário e natal, porque vai ser um máximo!- gargalhamos.

MENINAAAAS! Muito obrigada por comentarem! Peço que continuem comentando, isso me empurra pra escrever e é bom lê-los! Amo vocês! Talvez eu de outra passada por aqui de madrugada, beijão :*