I won't give up - Terceira temporada - Capítulo 4 (...) É melhor que ela sobreviva.





Liam P.O.V
(...) Assim que Jason recuou com a arma para longe de (Seu nome) meu peito se aqueceu com alívio, ela sabia, que ele não iria atirar, era esperta demais, passou a conversar com ele... Tempo, era isso que ela estava tentando conseguir, ela havia feito o que eu mandara, a cavalaria já estava á caminho, só tínhamos que ter a certeza de que eles não chegariam tarde demais... Jason não era bobo, eu precisava agir, as cordas que me amarravam á cadeira estavam muito bem feitas, mas não o bastante... Idiota, não se amarra um agente treinado com cordas... Lentamente, para não levantar grandes suspeitas meus dedos se movimentavam, eu estava perto.... SHLAP! O barulho estorou quando Jason acertou o rosto delicado dela... Meu estômago se contorceu... Eu vou mata-lo. Mas não pude deixar que aquilo prendesse minha atenção por muito mais tempo, meus dedos trabalhavam no nó elaborado, mais ágeis do que nunca, tentei bloquear minha mente para o que se passava do outro lado do cômodo deteriorado, até que Jason veio até mim... Eu estava quase acabando, havia quase desatado tudo... Jason me deu um soco, eu mal o senti... Parecia que adrenalina pura corria por minhas veias, ele me ameaçou, um resgate por mim... Era isso que ele queria, já que não conseguiria nada de (Seu nome)... E então voltou para ela... Meu coração batucava dentro do meu peito... Mais rápido Liam... Mais rápido - ... Eu mando lembranças ao nosso pai... - Não... Não ia, meus braços estavam livres, ele ainda efetuou um desparo mas logo eu estava sobre ele, meus punhos avançaram contra seu rosto... Tudo desepareceu, e a única coisa que se passou em minha mente foi ele estapeamento (Seu nome)... Meus punhos se chocaram contra seu rosto... Toda a minha força, raiva e fúria direcionados á ele... - Liam...  - A voz fraca de (Seu nome) soou nos meus ouvidos como uma brisa suave... Só então parei, e a visão que tive do seu frágio corpo me chocou... Seu peito estava embebido em sangue fresco... Jason havia acertado ela, corri até ela e a soltei colocando-a sobre meu colo... Seus olhos não se mantiveram abertos por dois minutos, engoli seco... Meus olhos já estavam marejados novamente, chequei seu pulso, ela ainda estava lá, comigo, fraca, mas estava... Ouvi um barulho vindo da sala de estar.... Coloquei (Seu nome) suavemente sobre o chão e peguei a arma de Jason, e sequei os olhos com as mãos livres, ninguém ia me pegar desprevenido novamente, além disso não dava pra saber se os comparsas de Jason já haviam ido... Mas ao atravessar a porta que dava pra entrada não me deparei com eles... E sim com homens de terno com a minha mesma cautela... A ajuda havia chegado, eu apenas não sabia, se já era tarde demais... - Somos nós Liam - A voz do agente Taylor ecoou no comôdo vazio até ele entrar na minha vista... As armas antes empunham foram abaixados por ambos os lados, corri de volta para (Seu nome) e a peguei no colo - ELE PRECISA DE AJUDA! - Disse urgente, Taylor assentiu - Uma equipe médica veio conosco para o caso de feridos... - Foi a minha vez de assentir, deitei seu frágil corpo sobre um sofá empoeirado no meio da sala e em poucos minutos uma equipe entrava no cômodo... - Seu pulso está fraco, ela perdeu muito sangue... A bala atingiu o tórax, isso é muito grave, PRECISAMOS LEVA-LA AO HOSPITAL AGORA... - Puseram a maca ao seu lado em poucos minutos, ela estava com dificuldade para respirar por isso utilizaram de uma máquina de óxigênio, o sangue já havia sido estancado... Minha garganta se fechava á cada vez que eu á observava naquele estado - É muito grave? - perguntei á médica que havia feito os primeiros socorros - Não vou mentir... a situação dela é gravíssima, posso estar errada mas creio que a bala perfurou o pulmão - Meus olhos encheram de lágrimas... Meus punhos se fecharam com raiva, voltei ao outro cômodo onde a carcaça imunda de Jason começava á recobrar a conseciência... - A culpa é sua... - Fui até ele que ainda estava meio confuso devido aos socos no rosto - A CULPA DE TUDO É SUA... - Avancei sobre ele novamente, meus punhos agora muito mais furiosos o socaram sem piedade, seu rosto em frangalhos mal parecia entender o que acontecia... - LIAM! - Taylor chamou, eu sabia que ele não me pariaria... Mas assim mesmo eu parei, por ela, por que prometi á ela, finalmente soltei Jason, ele me observou, ainda absorto na dor... O segurei pela blusa, fazendo-o ficarmos cara á cara - Pro seu própio bem, é melhor que ela sobreviva, do contrário, você vai junto com ela.. - Susurrei entre dentes finalmente o jogando no chão.
----------------------------------------------------------
HEY LIAMDAS
TUDO BEM COM VOCÊS?
GEENTE DESCULPA PELA DEMORA EU JURO QUE NÃO É DE PROPÓSITO
ME PERDOEM... 
Eu não vou prometer que o próximo capítulo vai sair logo pois não sei se poderei cumprir, mas por favor... COMENTEM?! 
É importante pra mim, novamente perdão pela demora okay?
Próximos capítulos darão inicio á reta final da fic
Estou pensando em postar um mini imagine, á quanto tempo não temos um né?
Bem é isso
Beijos amo vocês

I Won´t Give Up - Terceira temporada - Capítulo 3 (...) E o mundo á minha volta escureceu...




(...) O desafiei... - Apenas faça - disse entre os dentes, ele sorriu diabolicamente e recuou com a arma, o alívio tomando conta de mim, apesar de eu não transparece-lo e também de Liam, que em sua cadeira lá atrás ainda tinha olhos quase desesperados, Jason me encarou novamente, agora com raiva... - Como soube que eu não ia atirar? - arqueei uma sobancelha - Se quisesse só me matar o teria feito no dia que conversamos, eu e você, ou no dia que você saiu com a Eve, o que não lhe faltou foram oportunidades, então... Por que diabos me manteria agora?! - ele sorriu, mas a chama de raiva, ódio e fúria ainda crepitava em seus olhos medonhos, lá no fundo, eu conseguia ver. - De fato... Se eu quisesse apenas mata-la poderia ter feito muito antes... Acontece que tem algo mais que eu quero... Como você sabe eu também participava dos negócios dele... dei sorte por ainda não ter sido preso com ele, preciso de dinheiro, infelizmente a turma do seu namoradinho confiscou tudo que ele tinha, "ME" deixando sem nada... - Dei de ombros - E o que eu tenho haver com isso? - ele sorriu - Eu sei que ele tinha uma conta na Suíça só pra você, uma com dinheiro o bastante pra você passar o resto da sua vida sem trabalhar... Eu vou precisar desse dinheiro mais do que você, tenha certeza. - Balancei a cabeça confusa - Eu não sei do que está falando - Seu sorriso diabólico se alargou - É claro que sabe... Tem que saber, se ele contou isso pra mim, deve ter contado pra você também... - Semicerrei os olhos - Aquele dia... Você estava na minha casa, tinha ido me visitar, me contou... - um estalo me atingiu, tão forte quanto uma pedrada - Aquele dia em que eu desmaiei, foi você? - ele sorriu - Coloquei uma coisinha na sua bebida, eu precisava procurar algo importante... - Minha cabeça girou - Você... Eu sempre me sentia observada por alguém... todo o tempo era você?! - ele sorriu mais uma vez manifestando novamente seu lado psicopata - Você já deve ter notado, maninha, que eu não meço esforços para conseguir o que eu quero - ele posicionou a arma novamente, agora contra meu peito que ardia, com raiva, ódio e fúria, por ter sido tão tola por tanto tempo... - Eu quero o número da conta... do dinheiro que ele agurdou pra você. - Balancei a cabeça- FODA-SE VOCÊ... MESMO QUE EU SOUBESSE, NUNCA TE DIRIA, MESMO QUE EU ACABE MORTA, VOCÊ AINDA ESTARÁ FERRADO E NÃO TERÁ NINGUÉM PARA TE TIRAR DA MERDA! - Seus olhos brilharam - Ora ora, a princesinha fala palavrões afinal não é, concerteza nosso amado pai não iria querer ver sua amada princesinha usando esse tipo de palavreado tão baixo... - Então ele me deu um tapa forte com a outra mão, acertando furtivamente no meu nariz, meus olhos arderam, e eu senti o sangue escorrer do meu nariz, lá atrás Liam rosnou, levantei a cabeça meio zonza - Co-como conseguiu me achar? - perguntei entre soluços - Aquela sms que você mandou á sua amiguinha, psé... Eve teve serventia no final das contas... - ele disse zombateiro - SEU PORCO IMUNDO, SE TIVER FEITO ALGO COM ELA...! - Outro tapa, talvez mais forte, eu não sei, meu rosto assim como minha mente estavam ficando entorpecidos, pela dor, pela verdade, pelo ódio, por tudo... - Vamos lá maninha, eu juro que não quero te machucar muito mais, apenas me diga o que eu quero, e eu deixo você ir... - Balancei a cabeça - Eu não sei... - susurrei - Sinto muito - ele apontou a arma para Liam, parecendo lembrar-se de repente de que não éramos os únicos ali, Liam estava subitamente quieto nos últimos cinco minutos de estapeamentos - Diga, ou eu o mato... - Tornei a balançar a cabeça, Jason deu um soco forte no rosto de Liam, fazendo parecer que os tapas que ele me deu eram brincadeira - Eu não sei droga... Eu já disse eu não sei. - Eu nem mesmo conseguia mais chorar, estava seca, fraca... - Talvez eu consiga alguma coisa por um "agente"... Quem sabe não me pagam um belo resgate por sua carcaça hã - Jason murmurou se afastando de Liam suavemente e vindo até mim - " Vai pro inferno" - Liam murmurou baixo, Jason não pareceu ouvir, ou se importar - Já você... princesinha, não acho que alguém vá se importar com você... não é mesmo? - Novamente ele posicionou a arma contra mim, contra meu peito - Não se preocupe, eu mando lembranças ao nosso pai... - disse puxando o gatilho, meu coração encolheu, e como num vulto tudo aconteceu... Um disparo, um empurrão, um grito, sangue, Liam socando a cara de Jason, e jogando a arma na direção oposta, meu peito se aqueceu novamente, Jason estava no chão, seu rosto sangrava - Já chega Liam -Usei o pouco de fôlego que me restara para o alertar... O ar parecia haver se dissipado dos meus pulmões... Só então ele olhou diretamente pra mim, e pra minha surpresa eu não vi vestigíos de alívio ou felicidade, sua face se contorceu em horror, eu não conseguia respirar direito, eu estava sufocando, Liam correu em minha direção e me tirou as algemas com as chaves de Jason,  me pegando no colo, só então notei... A enorme mancha de sangue, bem sobre o meu peito, e então, tudo girou, e o mundo á minha volta escureceu, até ser engolido pela escuridão sem fim..
---------------------------
Oi meninas, eu sei que o capítulo saiu pequeno ( perdão) mas esse era o ponto em que precisava acabar... okay? Bem, por favor comentem
Amo vocês
XoXo
( Volto logo )

I won't give up - "Faça" - Terceira temporada Capítulo 02



Minha cabeça tinia, uma dor excruciante na parte de trás dela, minha visão ainda turva pouco conseguia ver, meu corpo doía e uma cãibra incômoda começava á se apossar dele, meus ouvidos tiniam, bem ao longe eu conseguia ouvir uma voz, chamando meu nome incessantimente, mas não conseguia responder, estava fraca, um gosto de ferro na boca, uma poça vermelha aos meus pés... - JÁ CHEGA, VOCÊ VAI ACABAR MATANDO-A SE Á MANTER AQUI - consegui ouvir com clareza dessa vez, era a voz de Liam, a rapidez com que ele falava e o desespero não podiam negar, eu estava em mal bocados... Levantei a cabeça, minha visão finalmente se estabilizando, ele continuava por chamar meu nome, estava bem na minha frente, amarrado, seu rosto estava inchado, tomado por hematomas, havia sangue seco do lado direito de sua cabeça... - L-Liam - consegui chamar - Eu estou aqui meu amor, olhe para mim ok? Eu estou aqui, com você (Seu nome), amor... Olha pra mim - Consegui focar meus olhos nos seus, seu rosto estava inchado e seus olhos vermelhos, ele estave chorando?! Sim, é claro que esteve, meu coração se apertou, quanto tempo havia se passado? O que fariam com ele agora que eu estava aqui? O que fariam conosco? Tentei me mecher, eu estava sentada numa cadeira acolchoada, meus pulsos presos com algemas assim como meus tornozelos, tentei movimentar minhas mãos puxando com força meus pulsos contra as algemas de aço, mas foi inútil, tentei mais uma vez, era ridículo, meus olhos estavam ficando molhados, o desespero tomando conta, tudo aquilo era pronfudamente ridículo, meus pulsos ardiam, de repente Liam estava gritando comigo - Para! (Seu nome) É inútil, tudo o que vai fazer é se machucar... Apenas acalma-se ok?! Tudo vai ficar bem. - Ele disse carinhosamente, derepente senti um calafrio, minha nuca se arrepiou e um vulto se movimentou ao meu lado. -
Se eu fosse você, não teria tanta certeza... - Jason disse aparecendo do nada e pulando na minha frente, seu tom de voz era frio, quase sádico, seus cabelos desgrenhados e seus olhos frios reforçavam a idéia de psicopata que sua imagem transmitia, engoli seco, mais lágrimas me vindo aos olhos - Jason, por que está fazendo isso? Eles estão ameaçando você é isso? Ou me entregam ou... te matam? - Ele gargalhou, fazendo minha espinha gelar, não, óbviamente não era isso - Sabe (Seu nome) você é tão ingênua que ás vezes chega á ser engraçada... - Cerrei a mandíbula - Apenas diga o que eles querem... Os caras que te mandaram aqui, apenas diga o que eles querem de mim - Jason ficou súbitamente sério, seus olhos brilharam - Não existe "eles" irmãnzinha, ninguém quer te fazer mal, ninguém nunca quis... Ninguém além de mim é claro. Nosso pai pode estar preso mas ainda exerce alguma influência, ninguém mecheria com a filha dele, ninguém seria louco á esse ponto... Desde o começo fui eu, fui eu que contratei aqueles caras que por engano mataram sua amiguinha, fui eu que contratei os caras que invadiram a sua casa, fui eu que contratei os caras no supermercado, fui eu que mandei os caras á casa dos horrores, e depois acha-la foi só questão de tempo, é claro que... Matar você não foi tão fácil assim, graças ao seu "namoradinho", mas agora ele está em seu lugar...-encarou Liam preso á cadeira bem na minha frente com um olhar superior...
 Balancei a cabeça - Por que se aproximou de mim então? - Indaguei em claro desespero - Por que eu quero algo de você - seus olhos voltaram á brilhar - Vingança - sibilou baixinho - Sabe como é ser tratado como o bastardo? O filho da prostituta? COMO UM NADA?! Não, é claro que você não sabe, você sempre foi a... favorita dele certo?! Nunca teve que se envolver com os negócios dele, sempre ficou lá... Á salvo, como se sua vida fosse muito mais importante que a minha- Ele se aproximou de mim, se abaixando e ficando no meu nível - Vamos ver se ainda será a favorita dele quando estiver dentro do caixão com uma bala no meio da sua cara - Eu estava tão cançada, meus pulsos doíam, minha cabeça latejava quase na mesma velocidade do meu coração, eu só queria... sair de tudo isso - Faça o que tiver que fazer... - Falei entre os dentes, ele me encarou surpreso e recuou - Parece que puxou alguma coisa do nosso pai aliás... A estupidez- ele disse puxando a arma do lado de trás da calça  e empurrou o cano frio contra a minha testa... Liam soltou ganidos, se movimentando frenéticamente, ele tentava desesperadamente se soltar, mas eu sabia que era inútil, meus olhos voltaram para Jason ainda com a arma imposta contra minha testa, o desafiei... - APENAS FAÇA.- disse entre os dentes... Ele sorriu perversamente...

Continua
------------------------------------------
HEYYY PESSOAS o/
Desculpem pela demora
Meu pc tá horrível
Mas enfim... O capítulo tá pequemo né?
Prometo voltar logo dessa vez.
Plis comentem
Amo vocês
Xoxo

Laser Light – 3ª Temporada – Capítulo 6 – Fanfic by Lary ((:

Laser Light – 3ª Temporada – Capítulo 6 – Fanfic by Lary ((:
Como pode saber?

 Depois de acabar nosso banho, eu visto um robe de seda creme que era oferecido pelo hotel, tem um jantar delicioso e super sofisticado nos esperando: Hambúrguer e batata frita.
Eu: Muita maionese pra mim.
Niall: Gorda. – Ele diz abrindo o sachê de maionese com a faca.
Eu: Sou, aceite isso. – Digo limpando o ketchup do cantinho da boca. Niall sorri e balança a cabeça. Nós dois comemos assistindo televisão, “Busca Implacável” para ser mais exata. Faço minha higiene noturna e volto para a cama com Niall, que usa um moletom cinza que também era oferecido pelo hotel. – Como você é branco. – Sussurro deslizando os dedos pelos seus ombros. Ele segura minha mão quando eu estou prestes a tocar os músculos de suas costas, não segura de um jeito fofo e carinhoso, segura de um jeito forte do tipo: Área proibida. Isso me assusta, arregalo os olhos e prendo a respiração. O aperto de suas mãos suaviza e ele baixa a posição de contra-ataque.
Niall: Me perdoa. – Sussurra.
Eu: E-Eu... Tudo bem, eu acho. – Recolho minha mão. – O que foi isso? – Pergunto baixinho.
Niall: Eu só... Às vezes é difícil ser tocado.
Eu: Mas eu já toquei nas suas costas... Não toquei?
Niall: Não é “onde”, é “como”.
Eu: Ah, me perdoe. – Sussurro. – Posso pergunto o porquê?
Niall: Claro.
Eu: Então...?
Niall: Disse que você poderia perguntar, não disse que responderia.  – Fico de boca aberta e com cara de retardada por alguns segundos.
Eu: Tá bom. – Fecho a boca e viro de lado na cama, pronta pra dormir, desligo meu abajur e fico de costas para Niall.
Niall: Ah bebê, não faz assim. – Ele desliga e TV, vira de lado e me abraça.
Eu: Você foi grosso comigo. De novo... – Resmungo tentando ignorar a mão dele deslizando por meu baixo ventre.
Niall: Me perdoe... Você precisa me ensinar a ser mais doce contigo. – Diz com a mão começando a invadir minha calcinha. – É minha primeira vez. – Sussurra e mordisca minha orelha.
Eu: Primeira vez? – Pergunto baixinho, colocando a mão sobre a dele.
Niall: Primeira vez que eu tenho uma mulher do meu lado assim. – Agarro as mãos dele.
Eu: Eu estou menstruada. – Sussurro.
Niall: Eu sei. – Sussurra. Mordo o lábio. – Está usando absorvente interno? – Assinto. – Então seu pontinho de prazer está livre. – Aperta de leve meu clitóris, eu me encolho e ameaço fechar as pernas.
Eu: Niall, eu...
Niall: Você já me contou que gostava de brincar de DJ. – Ele diz com uma voz super gostosa no meu ouvido enquanto faz um leve movimento circular com o dedo anular e o médio sobre a parte mais sensível do meu corpo.
Eu: Niall, eu não... – Seguro a mão dele com força e ele para.
Niall: Não quer?
Eu: Quero, e muito. Mas Niall, eu quero poder... Poder dar algo a você depois de tudo. Quero que a gente faça isso junto. – Seguro a mão dele e entrelaço nossos dedos.
Niall: Você é muito meiga. – Sussurra e me dá um beijinho atrás da orelha.
Eu: Você acha?
Niall: Sim, muito delicada e fofa. – Abre minha mão sobre a dele.
Eu: Delicada igual a coice de mula? – Ele ri baixo. Nós ficamos em silêncio por um tempo. – Eu sinto muito.
Niall: Por...? – Me viro para olhar seus olhos.
Eu: Pelo Toddy. Ele era uma pessoa maravilhosa... Eu sinto muito. – Niall desvia o olhar. – Hey... – Toco suas bochechas com carinho, ele balança a cabeça negativamente levemente.
 Niall: Sei que isso vai parecer gay pra caralho, mas sei lá... Ele era tão importante pra mim que nem caiu a ficha ainda, sabe? Pensar que não vou tê-lo sempre com as costas coladas nas minhas cuidando de um lado enquanto eu cuido do outro, pensar que nós não vamos mais nos divertir nas horas vagas do nosso jeito, pensar que ele não vai estar lá pra ler o relatório enquanto eu dirijo até a cena do crime... Pensar nisso tudo me deixa vazio e podre por dentro, por isso estou evitando pensar. Acho que ele foi a pessoa que permaneceu do meu lado por um maior período de tempo em toda a minha vida, e eu sou muito grato por isso. Ele me fez uma pessoa melhor. Meu melhor amigo, companheiro, colega de trabalho... – Ele solta um longo suspiro e me olha. – Não sei nem te dizer como me sinto... Vazio? Triste? Grato? Não sei... Preciso me preparar pra falar com a família dele. – Ele baixa o olhar. – Deus, a mãe dele. – Sussurra. – Ela me acolheu como um filho tantas vezes... – Suspira e engole seco. – Agora vou ter que olhar nos olhos dela e dizer que não fui capaz de proteger a vida de seu filho. – Murmura. Eu assisto aquilo com os olhos brilhando; triste e comovida com tudo, mas completamente maravilhada por ver aquela face de Niall Horan.
Eu: Isso não foi gay, foi... Lindo. – Sussurro maravilhada, ele ergue seus olhos azuis límpidos até mim. – Você... É tão meigo, tão... Por que esconde isso, Niall? – Toco seus cabelos macios e loiros. – Por que afasta as pessoas de você? Por que faz isso consigo mesmo?
Niall: Tenho meus motivos. – Diz suavemente.
Eu: Me conte. – Sussurro, ele desvia o olhar do meu.
Niall: Você não entenderia. – Diz baixinho, sem olhar meus olhos.
Eu: Como pode saber? Só me conta...
Niall: Um dia... Eu prometo. – Ele sela minha boca. – Agora dorme, amanhã o dia será bem longo. – Assinto e deito a cabeça em teu peito, adormeço ouvindo as batidas calmas e ritmadas de seu coração...
Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oii gente! Boa tarde! o/
Como estão? Espero que bem. Eu to bem! \o/ 
Alguma novidade? Quero saber de tudo u.u
Então gente, novamente eu estou aqui pedindo perdão pelo tempo fora, mas sabe, ainda anda tudo muito corrido, além de que minhas aulas começaram segunda feira. Pois é...
Esse capítulo está pronto faz um tempo mas eu andei sem coragem de postar.
Amo vocês, me entendam. 
Beijinhos de luz da Lary :*
Parabéns a Taís Muniz que entrou pra facul... Aiiiii olha!!! Parabéns mesmo!! Tudo de bom, sucesso.

Laser Light – 3ª Temporada – Capítulo 5 – Fanfic by Lary (:

Laser Light – 3ª Temporada – Capítulo 5 – Fanfic by Lary (:
Menina má.

 Eu agarro a mão de Niall enquanto passamos pela sala que contém respingos do sangue de Toddy pra todo lado, ele faz um carinho suave na minha mão com um polegar.
Niall: Está tudo bem. – Diz baixinho. Isso faz meu sangue ferver.
Eu: Quero dormir com você hoje.
Niall: Dormir? – Coro.
Eu: Passar a noite... Você me entendeu. – Mordo o lábio, envergonhada. – Posso?
Niall: Claro.
Eu: Eu... Preciso falar com Max. – Massageio minhas têmporas. Suspiro com força. – Que horas são?
Niall: Nove e meia.
Eu: Da noite? Meu Deus, eu ia fazer o almoço. Será que ele não sentiu minha falta?
Niall: Olha, anjo, a coisa toda passou na TV, talvez ele tenha visto o beijo. – Fico de boca aberta.
Eu: Você fez de propósito? – Sussurro. – Me beijou na frente de toda a TV? – Ele aperta minha mão.
Niall: Sou possessivo. – Diz com a voz morna. Mordo o lábio. – Não fale com Maxwell hoje, vamos ficar juntos... Amanhã nós vamos conversar com ele. – Assinto. Quando saímos do mercado, topamos com uma multidão de repórteres, policiais e curiosos, Niall me puxa por entre multidão enquanto as pessoas tentam falar comigo e com ele, eu olho envolta assustada, mas Niall nem dá bola. Algo machuca minha perna enquanto Niall me puxa, mas tem muita gente e eu não tenho nem como olhar o que é. Niall praticamente me enfia dentro do carro e sai dirigindo pela estrada vazia. Eu me encolho no banco. – Frio? – Assinto, Niall solta a direção para tirar a jaqueta preta enquanto eu fico durinha, sem respirar no meu lugar. Ele a joga pra mim.
Eu: Meu Deus, não solte a direção. – Sussurro, ele sorri me lançando um olhar de derreter corações. Eu suspiro e mordo o lábio. – Onde nós vamos dormir?
Niall: Num hotel aqui perto.
Eu: Ai meu Deus.
Niall: Falei hotel, não motel. Nem precisa dormir comigo se não quiser.
Eu: Não seja grosso comigo. Quero muito dormir com você... Só preciso te avisar antes que eu... Eu estou menstruada. – Sussurro envergonhada.
Niall: Não estou sendo grosso, e não tem problema algum... Você foi sequestrada e eu perdi meu melhor ou talvez único amigo, não acho que nós dois estejamos bem o suficiente pra fazer sexo hoje. – Solto um suspiro de alívio.
Eu: Obrigada por ser tão compreensível. Você é um amor, Niall. Não sei porque escondeu isso por tanto tempo. – Ele desliza a mão por minha perna, até achar minha mão, a segura e a aperta com cuidado.
Niall: Você é maravilhosa. Em tudo. – Ele dirige assim, com uma mão no meu colo, eu fico a viagem toda fazendo carinho nessa mão, tentando aquecer seus dedos. Quando nós chegamos no hotel, a recepcionista fica com cara de bosta pra mim enquanto Niall pega a chave, subimos de elevador até o terceiro andar e caímos numa suíte maravilhosa com a decoração creme e vermelha. A cama parece tão macia que minhas pernas bambeiam. – Sei que não rola muita coisa hoje mas, toma banho comigo? – Ele sussurra segurando meu rosto, encosto meu nariz no dele e assinto roçando nossos lábios. Niall beija minha boca, teu beijo nunca é delicado demais, às vezes é lento e suave, mas nunca delicado. Niall não era delicado. Sua boca era tão gostosa... Tão certeira... Tão perfeita. Eu abraço seu pescoço e fico nas pontas dos pés, louca por ele e para o sentir melhor, suas mãos traçam minha silhueta, até pararem na minha cintura. Eu paro de o beijar por falta de fôlego, fico colada nele, respirando rápido. – Que corpinho, ein morena? – Sussurra sorrindo.
Eu: Que corpão, ein loirinho? – Sussurro abraçando sua cintura, sem parar de sorrir olhando teus olhos. – Todinho meu. – Pisco pra ele, ele ri.
Niall: Vem que eu estou morrendo de fome. – Nós vamos para o banheiro, Niall arranca a camiseta e se vira pra mim, fecho os olhos envergonhada enquanto ele tira minhas peças de roupa com cuidado e calma, quando eu estou só de calcinha e sutiã na sua frente e ele ameaça tirar meu sutiã, eu treme e enfio as unhas nele. – Tudo bem, já entendi. – Ele volta a cuidar de si, desata a fivela do cinto e abaixa as calças; a cueca box hoje é completamente preta. Eu desvio o olhar enquanto ele acaba de ficar nu e entra na banheira cheia de espuma, Niall solta um suspiro, fecha os olhos e encosta a cabeça na borda.
Eu: Tá gostoso? – Pergunto.
Niall: Você nem imagina. – Murmura ainda de olhos fechados. Aproveito que seus olhos estão fechados e acabo de tirar minhas roupas intimas, com todo o cuidado do mundo tiro o absorvente interno que me incomodou o dia todo e jogo na lixeirinha prateada, com calma e cuidado para não molhar o chão, eu entro na banheira, Niall fica imóvel, ainda de olhos fechados e eu sei que ele está fazendo isso para eu não me envergonhar, me sento com o maior cuidado para a água não cair, mas a física não é a meu favor e um bom tanto de água cai no chão, isso faz Niall rir baixinho, ainda de olhos fechados. Faço careta e jogo água nele.
Eu: O chão perfeito. – Murmuro olhando o chão de madeira, Niall abre os olhos para ver.
Niall: Realmente... Mas não é problema nosso. – Me olha com um sorriso de menino levado que suja a casa e sai de mansinho. Eu ri e me aproximei dele, me encaixando entre suas pernas, com as costas contra teu peito. Nós apenas ficamos em silêncio enquanto ele acaricia meus cabelos e eu brinco com seus dedos.
Eu: Niall policial, não me prenda. – Me viro para olhar seu rosto.
Niall: Por que prenderia?
Eu: Eu... – Mordo o lábio. – Roubei uma caixinha de absorventes no supermercado. – Ele ergue as sobrancelhas.
Niall: Ah, menina má. – Sussurra com um sorriso torto delicioso. Mordo o lábio sorrindo.
Eu: Me perdoe, senhor policial. Por favor...
Niall: Só não te faço pagar hoje, porque não está em condições físicas. – Eu dou risada e selo seus lábios.
Eu: Não faltarão oportunidades para você me fazer pagar...
Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi geeeente
Boa tarde!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim.
Sumi, né?
Quem tem meu whats sabe que o carregador do meu computador tinha quebrado e blablabla, ele chegou ontem.
Enfim, me perdoem pelo tempo fora.
E ai, alguma novidade pra me contar? Sou toda ouvidos. (ou olhos?)
Bem minhas lindas, vou pedir uma ajudinha a vocês... Vocês podem curtir essa página pra mim?
É de um amigo muito especial, e é uma página tão fofa... Tenho certeza que vão gostar. 
Bem, é isso.
Volto logo.
Amo vocês.
Beijinhos :*
Lary <3

I Won´t Give Up - Capítulo 01 - Terceira temporada - "Não podia ser"



Esmurrei a porta e nada, chamei por ele e nada, meus olhos começaram á arder e minha cabeça á martelar, a respiração foi ficando raza, e o desespero foi tomando conta, aqueles homens, eles ainda estavam na casa? Por que Liam fechou a porta?! O que diabos está havendo?! Apertei a mochila com toda minha força... A mochila, ele me mandou abri-la assim que saisse, e foi o que eu fiz, estava muito escuro, a luz da rua não chegava á parte de trás da casa, peguei meu celular e liguei a lanterna, haviam roupas, dinheiro, alguns celulares, uma arma... e um envelope, engoli seco, só podia ser aquilo, o abri.
      " Eu sei que está confusa, e com medo, mas preciso que faça exatamente o que eu mandar... Primeiramente preciso que saia de onde estiver, quero que ande duas quadras da casa onde estamos nos escondendo, na parte de trás dela terá um carro estacionado, no bolso da frente da mochila está a chave, quero que a pegue, leia o resto depois que o fizer."
 Minha garganta estava seca, o que?! Era isso? Bufei, como eu já estava na parte de trás da nossa casa só precisei andar as duas quadras, tentei ser silênciosa mas tinha mato, árvores e folhas secas, felizmente eu cheguei na casa quase vizinha, de fato lá estava o tal carro, era um chevy impala 1967 preto, minha cabeça estava á mil peguei a chave e entrei no carro, joguei a mochila no banco do passageiro e reabri o envelope dele.
  " Se já está no carro dê partida e vá para a pista, quero que pise no acelerador, e quando achar que estiver numa boa distância pegue o celular branco dentro da bolsa e ligue pro numero 01 da discagem rápida, quando eles atender vão te pedir um protocolo, você vai dizer á eles *0093657, depois diga  sua localização , eles virão busca-la e tudo ficará bem."
Era isso?! O QUÊ DIABOS LIAM ESTAVA PENSANDO QUANDO ESCREVEU ESSA MERDA?! Esmurrei o volante, aquele filho da puta está me pedindo para que eu o deixe aqui enquanto salvo minha própia pele? É isso o que ela acha que eu sou? Que eu faço?! Minha cabeça rodava á mil, aquilo era frio demais, ele havia se entregado, pra me dar mais uma chance, joguei a cabeça pra trás, eu estava tão tonta, e tão enjoada que por um momento pensei que iria vomitar, respirei fundo, PENSE! E SE ACALME! NÃO OUSE ESTRAGAR TUDO! Ordenei á mim mesma, meu corpo tremia, o que fariam com ele quando não me encontrassem lá?! Será que o matariam por não saber onde eu estava?! Será que o torturiam até contar?! DROGA! MIL VEZES DROGA! EU MESMA PODERIA MATA-LO POR FAZER ISSO COMIGO... Quis me chutar, só o pensamento de Liam torturado me causava dor, imagine ele morto... Estremeci, por todo esse tempo ele me ajudou, fez tudo por mim, desobedeceu regras... Minha garganta se apertou... Me protegeu, me amou, e agora estava lá por mim, condenado por minha causa! Respirei fundo, liguei o carro, saí dali e dirigi até a pista, se ele era frio, eu também seria.
   Peguei o celular com a capa branca e disquei o n* 1, logo uma voz feminina do outro lado da linha se pronunciou.
- Discagem rápida para emergências, por favor informe o protocolo e sua localização. - repeti os numeros calmamente para ela e dei minhas cordenadas de acordo com o gps do carro, estavámos bem ao norte da minha cidade - Muito bem, seus dados parecem conferir, por favor, mantenha sua localização enquanto enviamos uma equipe de resgate para você e o agente...
- Não demorem. - rosnei e desliguei, peguei a arma de dentro da bolsa, eu não fazia idéia de como usa-la, saí do carro, não importa eu iria descobrir. Tentei me lembrar de como Liam havia feito... sim, eu consegui disparar um tiro, contra uma árvore, a arma recochiteou um pouco diretamente contra o meu rosto, mas na quarta tentativa eu consegui segura-la fimemente, eu não pretendia atirar em alguém de fato, atrasar e assustar era minha meta, eu daria tempo para, quem quer que visse nos salvar chegar cedo o bastante, peguei a arma enfiei na minha cintura, voltei para o carro, era isso... Isso era tudo, rodei a chave voltando á ligar o carro e parei ele á exatas duas quadras dali... Todo o meu corpo tremia, e meu coração batia com tanta força que parecia que á qualquer minuto poderia pular da minha garganta, engoli seco, era agora.
    Desci do carro e nas sombras das casas andei as duas quadras, a casa estava mais silenciosa do que nunca, meu coro cabeludo pinicava, parei ao lado da porta, e em uma fração de segundos repensei, se tudo aquilo realmente valia á pena, e eu só cheguei á uma conclusão, é claro que valia, empunhei a arma... Tentei abrir a porta, e pra minha surpresa ela se abriu, minha respiração ficou rasa, tudo estava muito escuro, mas pelo menos ali, não havia ninguém, entrei cuidadosamente na escura e velha casa, não havia ninguém na sala, fui até a cozinha, nada, ele não estava ali, meus ouvidos tiniam, não, não, eles o tiraram de lá... ouvi um barulho, por um segundo jurei que meu coração tinha parado, parecia um gemido, vinha do cômodo ao lado, a sala de jantar, era ao lado da cozinha, saí dali e fui até lá. A arma até então empunha caiu no chão, meus olhos marejaram e eu corri para ele, Liam, estava ali, amarrado, seu rosto estava cheio de hematomas, tão medonhos que dava-se pra ver até no escuro, o selei, as lágrimas finalmente rolando por minha face quente. - Tudo bem, tudo bem, estou aqui, Liam... - ele se mechou desconforatalvemente enquanto eu tentava o soltar. - (Seu nome)?! - sua voz era baixa - O que está fazendo... VAI EMBORA, AGORA. - me apressei, aqueles nós estavam muito bem feitos e minhas mãos muito trêmulas - Psiu, não tem ninguém, aposto que eles estão lá fora me procurando, vamos sair e tudo vai ficar bem... - Liam gemeu, depois retrucou bravo - NÃO É ISSO, VAI LOGO, SAÍ DAQUI, você não entende é uma... - antes que ele terminasse a frase senti uma pancada no lado de trás da minha cabeça, tão forte que eu fui jogada contra o piso frio, me virei, minha visão ficou turva e eu extremamente tonta, mas nas sombras eu consegui avistar alguém, ele andou até mim, vagarosamente, calmo e astuto, não podia ser, ele não. - Olá irmãnzinha...- ele respondeu friamente antes de mim finalmente desmaiar.

----------------------------------------------
Hey meninas.
Como estão?
Desculpa pela demora novamente, esse capítulo tava pronto desde quarta mas eu tava sem tempo pra postar '-' 
enfim... SORRY
Sobre esse final, pra quem não se lembra ainda na primeira temporada apareceu um cara chamado Jason alegando ser irmão paterno da (S/N)... Logo logo vocês saberão os verdadeiros objetivos dele... Enfim é isso
Se puderem comentem ( critícas, comentários, teorias... enfim)
XoXo

Mini imagine - Liam Payne 1/?

                                                     Just give me a Reason:

Ally já estava me irritando, ela andava de um lado para o outro naquele quarto de Hotel. Tudo bem, estávamos ali há apenas 20 minutos, mas isso já estava ficando chato. Olhei para ela, que ainda continuava andando de um lado para o outro e isso já estava me deixando irritada, e eu nem fico irritada por qualquer coisa.

Eu: Ally, por favor, pare de andar de um lado para o outro! - pedi, com a paciência já esgotada.
Ally: Não me distraia, (SeuNome), estou pensando na minha estratégia.
Eu: Que estratégia? - perguntei, fingindo interesse.
Ally: Para conhecer a One Direction, obviamente. - ela disse, irônica.
Eu: Tudo bem, mas pode pelo menos parar de andar? Estou ficando tonta!
Ally: Certo. - ela se sentou na cama, que era na frente da minha. - Você acha que eu devo invadir o camarim deles?
Eu: Acho que se você fizer isso, você vai presa. - respondi, rindo.
Ally: Não me importo, eu só quero ver os meus bebês. - disse ela, sorrindo.
Eu: E eu quero conhecer os pontos turísticos, afinal, temos apenas uma semana aqui e eu quero conhecer todos os itens da minha lista. - eu disse, pegando a lista e mostrando a mesma.
Ally: Não estou interessada na lista, eu quero conhecer os meus meninos, me ajuda a pensar! - ela disse, histérica.
Eu: Tudo bem, o que você quer que eu pense? - perguntei, desistindo de falar sobre os lugares que eu desejaria conhecer.
Ally: Não sei, eles vão estar em um programa hoje, eu consegui acesso para ficar na platéia, até aí já temos um plano, mas eu preciso achar um jeito de chegar até eles. - ela disse, séria.
Eu: Boa sorte. - eu disse, me levantando.
Ally: Onde você vai? - perguntou, incrédula.
Eu: Tomar um banho e depois eu vou começar o meu passeio. - disse, indo até o banheiro.
Ally: Mas, (SeuNome) eu... - não terminei de ouvir, bati a porta do banheiro.

O fato é que me irritava essa fixação da Ally por essa banda, qual é, é só uma banda! Tudo bem, eles são lindos e cantam muito bem, mas isso de querer invadir o camarim deles e arriscar ser presa, bom, pra mim já é demais. Após tomar banho e me arrumar, arrumei minha bolsa e a coloquei no ombro, só faltava o meu Itinerário.

Eu: Ally, você viu onde eu coloquei meu Itinerário? - perguntei, procurando o mesmo.
Ally: Não.
Eu: Droga, eu sei que o coloquei em algum lugar. - eu disse, revirando minha mala.
Ally: Dentro da sua agenda? - perguntou.
Eu: Não sei, calma aí. - eu disse, pegando a minha agenda e abrindo a mesma, é, estava ali. - Aqui, obrigado.
Ally: De nada, bom passeio. - disse.
Eu: Você não vem?
Ally: Não, eu vou ficar, preparando a minha estratégia. - ela disse e eu ri.
Eu: Não devo demorar, tchau. - eu disse, beijando seu rosto.
Ally: Tchau.

 
Saí do quarto e fui até o elevador, apertei o térreo e quando cheguei vi que a recepção do hotel estava vazia. Caminhei até a saída e peguei um táxi, ele me largou em alguma avenida, mas eu não tinha o mapa da cidade e estava perdida. Paguei e saí do táxi, olhei para o céu, uma tempestade se aproximava, caminhei até uma loja turística e comprei um mapa com os pontos turísticos. Caminhei por mais trinta minutos e senti um pingo no meu ombro, e depois outros pingos e quando eu vi já estava encharcada (não naquele sentido). O vento também assobiava e droga, o que eu iria fazer? E como se tudo já não estivesse dando errado o meu Itinerário voou e caiu em uma poça de água, caminhei até a poça para juntar e senti meu coração saltar para fora quando um carro freou e eu ouvi um barulho alto, droga, eu quase havia sido atropelada! Minha boca estava entreaberta e eu estava ofegante e assustada, um cara saiu de dentro do carro.

Xx: Você é maluca? - perguntou, bravo.
Eu: O que? Eu... - eu não sabia o que dizer, estava em estado de choque ainda.
Xx: Você não pode ficar parada no meio da rua, você teve sorte por eu ter conseguido frear, porque você podia ter se machucado. - disse ele, me dando lição de moral.
Eu: Me desculpa eu só... - coloquei a mão na cabeça, sentindo dor. - Eu só estou perdida, essa cidade, eu não conheço nada aqui.
Xx: Você não mora aqui?
Eu: Não, eu só vim a passeio. - falei, fazendo careta.
Xx: Droga, estamos na chuva, essa tempestade vai aumentar. - disse ele e foi só aí que eu me dei conta que estávamos debaixo de toda aquela água. - Prazer, eu sou o Liam.
Eu: Sou (SeuNome).
Liam: Prazer.
Xx: Gente, é o Liam Payne! - uma garota gritou, e ele me olhou, desesperado. Liam me puxou pelo braço, abriu a porta do carro e me empurrou para dentro, fazendo com que eu, automaticamente entrasse no carro, fechei a porta e observei ele dar a volta e entrar no carro.
Liam: Poe o cinto! - ordenou.
Eu: Tudo bem. - eu disse, colocando o cinto. - Você está fugindo de que?
Liam: Não é de que, é de quem! - disse, enquanto dava partida e acelerava. E foi aí que eu me dei conta que ele era o Liam, da One Direction!
Eu: Oh, meu Deus! - coloquei a mão na boca. - Você é o Liam, da One Direction!
Liam: Você é minha fã?
Eu: Não sou sua fã, mas eu curto a banda e não sou nenhuma alienígena que não ouviu falar em One Direction. - eu disse, e ele me olhou, fazendo careta. - Desculpa... O fato é que minha melhor amiga é fã de vocês!
Liam: Sério? Que bom! - ele disse, olhando para o trânsito.
Eu: Ei! Como você deixa uma desconhecida entrar no seu carro? E ainda por cima toda molhada?
Liam: Eu não sei, mas você não tem cara de psicopata. - ele disse, rindo.
Eu: Bom, é porque eu não sou mas... Por que você não está cheio de seguranças? Achei que os artistas andavam bem protegidos. - eu disse, observando o carro.
Liam: Eu sei me proteger, eu sou forte. - ele disse e eu franzi a testa. - Mas eu sempre ando com seguranças, só que, bem... é uma longa história!
Eu: Tenho tempo. - eu disse.
Liam: Bem, o Harry aprontou uma com o Louis, então eles brigaram, fazendo o pessoal ficar estressado e as fãs acabaram descobrindo nosso apartamento secreto, onde usamos para nos encontrarmos para ficarmos apenas sem fazer nada, e bem, eu não sei explicar, mas eu estava indo até a farmácia, comprar coisas para fazer curativos no Harry. - ele disse, resumindo.
Eu: E por que veio sem seguranças?
Liam: Eu não sei, eu quis... eu acho.
Eu: Certo, você saí sem segurança, quase atropela uma linda jovem, conversa com ela na chuva, sequestra ela para poder fugir das fãs, isso daria um livro. - eu disse, zombando.
Liam: Desculpa, mas se ficássemos lá eu iria ser atacado!
Eu: Tudo bem, pra onde estamos indo?
Liam: Bom, eu não sei, onde você está hospedada? - perguntou, parando no sinal vermelho.
Eu: No Hotel, aquele no centro da cidade.
Liam: Sei qual é, você quer que eu te leve?
Eu: Se não for incômodo. - respondi, sorrindo.
Liam: Não vai ser, eu te obriguei a entrar nesse carro, é o mínimo que eu posso fazer.
Eu: Tudo bem, obrigado então.

E o resto do caminho ficamos em silêncio, eu ainda estava tentando raciocinar, eu havia entrado no carro de Liam Payne, o cantor da One Direction cujo minha melhor amiga é completamente apaixonada pela banda, seria coincidência? Nem vi o tempo passar, quando eu vi Liam já havia parado o carro na frente do Hotel.

Liam: Chegamos. - anunciou.
Eu: É, parece que sim. - respondi, sorrindo e tirando o cinto.
Liam: Apesar da confusão, foi legal te conhecer. - disse, sorrindo.
Eu: Foi legal te conhecer também, cantor.
Liam: Você poderia me dar o seu número, talvez pudéssemos nos falar. - ele disse, ainda sorrindo.
Eu: Tudo bem.
Liam: Aqui. - me entregou seu celular e eu coloquei meu número.
Eu: Pronto.
Liam: Obrigado, vou te ligar.
Eu: Okay, tchau Liam. - eu disse, colocando a mão na porta.
Liam: Tchau (SeuNome). - sorriu.

Abri a porta, saí do carro e fechei a mesma. Corri para a entrada do Hotel e as pessoas da recepção me olharam, eu estava molhada. Ignorei e fui até o elevador, apertei no meu andar e esperei o elevador chegar no mesmo. Saí do elevador e fui até o quarto, procurei na minha bolsa a chave, e abri a porta do mesmo. Assim que Ally me viu, ela arregalou os olhos.


Ally: O que aconteceu com você? - perguntou, preocupada.
Eu: Longa história, preciso de um banho. - respondi, entrando.
Ally: Tudo bem, me dá aqui sua bolsa, vou tentar secar.
Eu: Pega. - entreguei a bolsa pra ela.
All: Depois você vai me contar isso direitinho!
Eu: Tudo bem. - concordei.

                                                                           [...]

Após tomar um banho quente e aconchegante eu saí do banheiro, com um pijama quentinho, pois em Londres estava fazendo muito frio. Fui até a minha cama e me enfiei debaixo das cobertas, Ally me perguntou sobre o que havia acontecido, eu resolvi inventar uma história, se eu contasse que eu havia conhecido um dos ídolos dela, com certeza ela me encheria de perguntas e eu só queria dormir.

Ally: Você está bem? - perguntou ela.
Eu: Acho que... - espirrei. - Acho que sim.
Ally: Você pegou um resfriado. - ela disse, balançando a cabeça.
Eu: Parece que sim.
Ally: Tenho um remédio, vou pegar. - ela disse, abrindo sua bolsinha de remédios.

Depois de tomar o remédio que Ally me deu, ela apagou as luzes e eu me ajeitei. Afundei a cabeça no meu travesseiro e fechei os olhos, mas não consegui dormir rápido, eu ainda pensava nele... Bem, por que eu estava pensando nele? Amanhã ele já vai ter até esquecido de mim, é, ele conhece várias garotas todos os dias, por que ele se lembraria de alguém tão comum como ele? O melhor que eu tenho que fazer é esquecer isso, eu sou só mais uma...
Mas seria difícil, difícil não sonhar a noite inteira com aquele garoto, com aqueles braços e com aquela voz... É, que dia turbulento, mas eu tenho o pressentimento de que as coisas vão ficar mais agitadas, eu só não sei o porquê. Em meio a tantos pensamentos confusos e sem respostas eu acabei me deixando levar, pelo sono leve e vazio que me tomou...

                                            Continua!
Aí vocês se perguntam: ''Mas quem é você?'', e então eu respondo: Eu sou a Mary! Não a Mari (dona do blog), eu sou a Mary, Maryana, amiga da Mari que escreve fanfics e imagines, bom, eu já fui convidada para postar aqui pela Mari uma vez e não deu, mas agora eu resolvi começar postando esse imagine com o Liam, eu iria postar com o Zayn (para homenagear o aniversário dele, mas eu vou deixar esse por último porque é maior), o fato é que  eu tenho vários imagines escritos e irei postar, se vocês quiserem, claro, bom, esse imagine com o Liam vai ter várias partes, eu ainda não sei quantas, mas se quiserem continuação eu continuo! É isso então, uma boa noite para vocês e até amanhã se vocês quiserem continuação.